06/10/2017

Recomendações para gestores com dificuldade para traçar estratégias

Analisar dados de maneira avançada é um dos maiores desafios do mundo corporativo dado o grande volume de informações disponíveis. Estudo feito pela consultoria McKinsey indica que os CEOs precisam estar à frente das estratégias de Analytics, como é chamado esse atributo.

A ideia é acelerar processos de transformação corporativa e assegurar a alocação inteligente dos investimentos. E isso já está começando a acontecer. O estudo revela que mais da metade dos principais executivos das empresas acreditam que estejam cumprindo esse papel.

A partir da entrevista com cerca de 300 executivos de grandes empresas globais, a McKinsey faz algumas recomendações para avançar na adoção nesta tecnologia. Confira:

1. Crie novas oportunidades e busque a transformação
É recomendado reservar, primeiramente, um tempo para se concentrar no longo prazo. Avalie o que outras empresas estão fazendo e procure entender como satisfazer de forma efetiva as necessidades dos clientes por meio de novos modelos operacionais. Em segundo lugar, volte-se a seus próprios dados – analise seu valor, o que os distingue e como podem ser combinados. Por fim, avalie seu modelo de negócio e como transformá-lo.

2. Gere valor para seu negócio
Identifique quais funções ou partes da cadeia de valor têm maior potencial e encontre novas possibilidades de aplicação de dados. Finalmente, decida as prioridades, considerando seu impacto econômico, aderência ao negócio, viabilidade e velocidade de adoção.

3. Saiba o que fazer com os dados
Conecte as estratégias de dados e de analytics. Coloque em andamento processos e práticas de governança. Adote boas práticas de dados e metadados. Crie processos automáticos de reconciliação que constantemente verifiquem se novos dados atendem a padrões de qualidade. Para obter novos insights, conecte diferentes conjuntos de dados, potencialmente em um repositório centralizado (data lake). Resista à tentação da complexidade.

4. Democratize o acesso e a propriedade dos dados
Crie uma governança de dados eficaz. Explique aos funcionários que a responsabilidade pelos dados é de toda a companhia, e não apenas de determinadas áreas. Desenvolva plataformas de apuração de dados, como portais de autoatendimento baseados na web, que permitam às equipes extrair informações facilmente.

5. Transforme a cultura organizacional
As pessoas somente aderem a mudanças quando entendem e sentem que são parte delas. Ainda que algumas políticas específicas possam ser desenhadas para preparar determinados profissionais, procure estabelecer programas amplos de disseminação de conhecimento e implementação de uma cultura dirigida por dados.

6. Aprenda a usar e valorizar as métricas
Crie um painel que possa ser acessado pelos profissionais com todos os indicadores e “feeds” de dados automatizados mais importantes (dashboard) – de modo que se torne fácil acompanhar o desempenho da empresa. Ensine seus funcionários a confiar nestas métricas e a entender que elas formam importante subsídio para tomada de decisão.

7. Desenhe a melhor estrutura para apoiar a tomada de decisão
Os CEOs precisam avaliar como se dão os processos de tomada de decisão de suas empresas – se são centralizados ou espalhados nas unidades de negócio – para, então, implantar os modelos organizacionais analíticos que possam alavancar seu potencial.

8. Ajude seus experts a serem ainda melhores
Identifique seus especialistas em dados, como estatísticos e econometristas, e desenhe programas para que eles possam ampliar suas habilidades. Lance mão de princípios de aprendizagem para adultos, como treinamento on-the-job e cursos de atualização on-line. Considere oferecer certificações formais para os que concluírem com sucesso esses cursos.

9. Crie uma cultura de dados em sua empresa
Forneça as ferramentas, a tecnologia e a capacidade de processamento necessárias para que as equipes possam descobrir novos padrões, identificar correlações e realizar análises. Procure também criar condições propícias para que os times abandonem antigas práticas que não funcionam mais, e adotem novas soluções. O erro não pode ser tratado como algo vergonhoso, mas sim com parte fundamental deste processo constante de inovação. Tudo isso faz parte da construção de uma cultura em que dados, e não suposições, são usados para enfrentar os problemas e onde as pessoas se sentem confortáveis com mudanças constantes.

> Fonte: Portal SM.

> Texto também publicado no site da FCDL.

Tags: ,

CDL Palhoça

Click to open a larger map