13/10/2017

Doze dicas de liderança, organização, estratégia e execução

Muitos empreendedores de sucesso começam sua vida profissional como trabalhadores assalariados. Um padeiro, um contador, um arquiteto. Quando eles abrem seus próprios negócios e começam a prosperar, esses profissionais precisam de habilidades adicionais: estratégia, liderança, organização e execução. Eles não têm o conhecimento administrativo suficiente para fazer boas escolhas e a maior parte não tem tempo para investir em um curso de administração tradicional.

Os que já passaram por um curso superior de Administração se sentem desatualizados e desconectados da prática. Esses foram os motivos que levaram o PhD, pesquisador, escritor e trainer, Ben Tiggelaar a montar o seminário “MBA in One Day” com conteúdo baseado em autores como Philip Kotler, Michael Porter, Stephen Covey, Robert Kaplan, Daniel Kahneman (vencedor do prêmio Nobel de Economia em 2002), Ken Blanchard, Eli Goldratt, entre outros, ou seja, uma bibliografia com o que há de mais respeitado no mundo em termos de gestão e negócios.

Sem nenhuma pretensão de atingir o status de um MBA, o nome é uma brincadeira provocativa que tem despertado reações ferozes, tanto contra quanto a favor, o certo é que o seminário que, hoje é um sucesso, tem sido procurado por diversas razões e já impactou mais de 17 mil profissionais de países como Holanda, Bélgica, Dinamarca e Alemanha, que maximizaram seus resultados após a participação no evento.

Para os gestores com cursos superiores de Administração, o “MBA in One Day” tem funcionado como um workshop de reciclagem de práticas e conceitos, além de um guia de bibliografia de gestão e negócios, para que possam selecionar os autores especialistas nos quais desejam se aprofundar. Para os empreendedores sem conhecimento de gestão, ele fornece noções básicas e práticas para incrementarem suas performances e estruturarem seus negócios; e para os interessados em investir em um MBA, o seminário age como uma prévia da formação.

A seguir, 12 dicas de Ben Tiggelaar – baseadas no seminário – para aumentar seus resultados como empreendedor.

Liderança

1. A liderança pode ser aplicada
Você pode desenvolver suas habilidades de liderança por meio de práticas significativas, experiências práticas e reflexões deliberadas.

2. Não há uma abordagem única
Diferentes situações e diferentes pessoas exigem abordagens de liderança diferentes.

3. Supere a si mesmo e ajude os outros a fazerem isso também
Você precisa aprender a gerenciar sua própria conduta, antes de ajudar outras pessoas a fazê-lo.

Organização

4. Estruturas organizacionais regulam o comportamento humano
As pessoas formam as organizações, mas as organizações também formam o comportamento humano.

5. Clientes querem um processo único que gire em torno deles
Organize sua empresa em processos centrados no cliente e não em departamentos funcionais.

6. Empregue as forças de seus funcionários
Ao dividir o trabalho em uma organização, busque em primeiro lugar aquilo que as pessoas fazem bem e que faz com que elas se sintam capazes.

Estratégia

7. Somente o cliente determina se a sua estratégia faz sentido
Acostume-se a olhar para a sua empresa a partir da perspectiva do cliente e peça as opiniões dos clientes pessoalmente.

8. Estratégias exigem coerência
Sua escolha de uma direção clara deve fazer parte de todas as atividades da sua empresa e do seu modelo de negócios em geral.

9. Insista no seu plano e faça experimentos
Por um lado, certifique-se de que a sua estratégia é sólida; por outro lado, continue a experimentar coisas dentro dos limites dessa estratégia.

Execução

10. No final das contas, é tudo comportamento humano
Não é a maneira de pensar que deve mudar: a maneira de agir é o que mais importa.

11. Foque nas questões que importam de verdade
Descubra quais questões afetam sua capacidade de obter clientes satisfeitos e dispostos a pagar pelos produtos e serviços.

12. Transforme ambições de longo prazo em atividades diárias
O desafio é ligar as metas mais importantes e os planos de longo prazo da sua empresa aos seus assuntos cotidianos.

> Fonte: Portal Newtrade.

> Texto também publicado no site da FCDL.

11/10/2017

Sete dicas para ser um líder e melhorar os resultados dos negócios

Em mercados competitivos, são muitos os pontos que devem estar ajustados para a obtenção do sucesso. Para que esses aspectos fiquem alinhados ao objetivo do negócio, a presença que se mostra fundamental é a do líder. Mas quem realmente é essa figura? E como desenvolver qualidades que levem à liderança?

Temos que ter em mente que o lider não se faz por imposição, ele é aquele o qual os demais elementos de um grupo (família, empresa, associação, etc.) optam por seguir. Isso faz com que o sucesso da atuação de um grupo dependa da atuação dessa liderança, que necessita ter real condição e preparo para conduzir os demais membros para a direção mais assertiva para o sucesso.

Dentro disso, cabe uma reflexão, hoje muitos se apressam em querer exercer imediatamente a função de liderança e, nesse momento, já ocorre um primeiro erro: um líder não é imposto, ele conquista seu espaço junto aos liderados.

Outro erro muito comum é acreditar que manter o caminho que todos acham ideal é o certo, a famosa política da boa vizinhança. Na realidade, estar à frente de um grupo, muitas vezes, é ser contestado em suas decisões, mas saber que o rumo a ser tomado é de extrema importância para chegar aos objetivos finais.

Veja as dicas que preparamos para você se tornar um bom líder:
– O primeiro ponto do líder é a paixão, pois, ao ver que ele realmente realiza suas ações com prazer, os liderados acreditarão no projeto. Se isso não ocorre, não haverá inspiração e entusiasmo;

– Não pense apenas na popularidade, pois muitos profissionais podem confundir os papéis de amizade e liderança. Na verdade, o líder deve ser um guia que todos querem caminhar junto. É especialmente nas dificuldades que um líder se destaca, mostrando os caminhos certos a serem seguidos;

– Sinceridade e ética são essenciais. É fundamental ser um profissional em que as pessoas confiem. Também é relevante demonstrar maturidade, com base em experiências passadas e teóricas, pois a busca pela melhoria e reciclagem deve ser contínua;

– O líder não é perfeito, mas busca sempre se aprimorar. Ninguém sabe tudo e todos possuem muito a aprender. O líder sabe que deve ouvir os liderados e ter uma troca saudável de ideias;

– Estar à frente é, muitas vezes, não ter medo de arriscar. Um líder que não busca o diferente está fadado a ser ultrapassado. É fundamental que se tenha audácia e posicionamento de opinião. Também é preciso assumir responsabilidade e culpas;
– Autoconhecimento e autocontrole são fundamentais, pois se deve saber os próprios limites e a hora de se retirar para que não prejudique o projeto. Um grande problema das lideranças pode ser o ego, que leva a uma perda de controle. É preciso estar pronto para mudar de rota sem perder o foco, conduzindo sua equipe nas mudanças do mercado;

– Uma boa comunicação é fundamental. Um dos grandes erros dos “chefes” é não deixar claro para a equipe os caminhos tomados. É preciso saber se posicionar, fazer reuniões e convencer.

Capacitação e troca de experiências

Não existe caminho melhor para se tornar um grande líder do que a capacitação. Cursos, treinamentos, workshops e a troca de experiências com outros profissionais do ramo são essenciais para a construção de um novo profissional, capaz de coordenar uma equipe e caminhar para a evolução.

> * Paulo Roberto O. da Costa é diretor geral da Farmarcas, associação de grupos farmacêuticos.

> Fonte: Portal Administradores.

> Texto também publicado no site da FCDL.

10/10/2017

O que é o mapa da empatia e como ele pode aumentar suas vendas

Você já imaginou como seria se você conseguisse entrar na mente de seus clientes? Pode parecer impossível, mas existem ferramentas que podem simular esse pensamento, trazendo resultados muito interessantes. Uma dessas ferramentas é o mapa da empatia. Ele auxilia na construção dos perfis ideais de nossos clientes, com base em seus sentimentos.

Antes de entendermos o mapa da empatia, precisamos deixar claro o que é o sentimento chamado empatia, pois muitas pessoas não sabem seu real significado. Poderíamos definir a empatia como a capacidade de se colocar no lugar do outro. De compreender a sua visão da realidade, sua postura e opiniões livre de preconceitos. A empatia pode ajudar não só os outros, como também a nós mesmos.

Compreendendo o que é empatia e tendo a sensibilidade para entender o seu público, você já pode começar a colocar as ideias em cima da mesa e pensar em produzir o seu mapa.

O que ele pensa e sente?

Nesse tópico é importante questionar o que seu cliente pensa e sente. Como ele se sente em relação ao mundo? Quais as suas preocupações? Quais são os seus sonhos?

O que ele escuta?

Aqui, o importante não é só que ele ouve sonoramente, e sim as influências que recebe das diversas fontes que estimulam. Quais pessoas e ideias o influenciam? Quem são seus ídolos? Quais suas marcas favoritas? Quais produtos de comunicação consome?

O que ele vê?

O importante aqui é quais são os estímulos visuais que o inspiram, busque responder as perguntas: Como é o mundo em que ele vive? Como são seus amigos? O que é mais comum no seu cotidiano?

O que ele fala e faz?

Este item tem relação com o consumo, desde quando a decisão de compra é tomada e por que ela é feita. Sobre o que seu cliente costuma falar? Ao mesmo tempo, como age? E os seus hobbies?

Quais são suas dores?

As dores na verdade são as dúvidas e os obstáculos que seus clientes encontram para adquirir o seu produto. Quais são os medos do cliente? Que obstáculos precisa ultrapassar para conseguir o que deseja? Quais suas frustrações?

Quais seus ganhos?

Aqui é o que você pode colocar em prática para impressionar o seu público-alvo. Onde ela quer chegar? O que acabaria com seus problemas? Quais as suas possibilidades?

E como o mapa da empatia pode aumentar suas vendas?

Transmitir empatia para as pessoas é muito significativo, pois permite que você, empreendedor, tenha clareza da sua posição sob a perspectiva dos seus consumidores, assim o cliente entende que comprar de você se torna diferente das outras empresas, pois você entende quais são seus pontos de vista e suas necessidades.

O que desenvolve a relação entre o cliente e a marca não é só um negócio bem resolvido, essa relação precisa ir além, deve conectar o cliente com a marca. Quando isso acontece, fica mais fácil a relação com todo o seu público-alvo, resolvendo a sua antiga dificuldade de identificar seu público.

Portanto, se você está com dificuldades em fidelizar seu cliente ou não consegue efetuar suas vendas, uma ótima opção é fazer o mapa da empatia. Descubra o perfil de quem você deseja vender seus produtos, de um jeito simples e rápido.

> Fonte: Portal Goedert.

> Texto também publicado no site da FCDL.

06/10/2017

Recomendações para gestores com dificuldade para traçar estratégias

Analisar dados de maneira avançada é um dos maiores desafios do mundo corporativo dado o grande volume de informações disponíveis. Estudo feito pela consultoria McKinsey indica que os CEOs precisam estar à frente das estratégias de Analytics, como é chamado esse atributo.

A ideia é acelerar processos de transformação corporativa e assegurar a alocação inteligente dos investimentos. E isso já está começando a acontecer. O estudo revela que mais da metade dos principais executivos das empresas acreditam que estejam cumprindo esse papel.

A partir da entrevista com cerca de 300 executivos de grandes empresas globais, a McKinsey faz algumas recomendações para avançar na adoção nesta tecnologia. Confira:

1. Crie novas oportunidades e busque a transformação
É recomendado reservar, primeiramente, um tempo para se concentrar no longo prazo. Avalie o que outras empresas estão fazendo e procure entender como satisfazer de forma efetiva as necessidades dos clientes por meio de novos modelos operacionais. Em segundo lugar, volte-se a seus próprios dados – analise seu valor, o que os distingue e como podem ser combinados. Por fim, avalie seu modelo de negócio e como transformá-lo.

2. Gere valor para seu negócio
Identifique quais funções ou partes da cadeia de valor têm maior potencial e encontre novas possibilidades de aplicação de dados. Finalmente, decida as prioridades, considerando seu impacto econômico, aderência ao negócio, viabilidade e velocidade de adoção.

3. Saiba o que fazer com os dados
Conecte as estratégias de dados e de analytics. Coloque em andamento processos e práticas de governança. Adote boas práticas de dados e metadados. Crie processos automáticos de reconciliação que constantemente verifiquem se novos dados atendem a padrões de qualidade. Para obter novos insights, conecte diferentes conjuntos de dados, potencialmente em um repositório centralizado (data lake). Resista à tentação da complexidade.

4. Democratize o acesso e a propriedade dos dados
Crie uma governança de dados eficaz. Explique aos funcionários que a responsabilidade pelos dados é de toda a companhia, e não apenas de determinadas áreas. Desenvolva plataformas de apuração de dados, como portais de autoatendimento baseados na web, que permitam às equipes extrair informações facilmente.

5. Transforme a cultura organizacional
As pessoas somente aderem a mudanças quando entendem e sentem que são parte delas. Ainda que algumas políticas específicas possam ser desenhadas para preparar determinados profissionais, procure estabelecer programas amplos de disseminação de conhecimento e implementação de uma cultura dirigida por dados.

6. Aprenda a usar e valorizar as métricas
Crie um painel que possa ser acessado pelos profissionais com todos os indicadores e “feeds” de dados automatizados mais importantes (dashboard) – de modo que se torne fácil acompanhar o desempenho da empresa. Ensine seus funcionários a confiar nestas métricas e a entender que elas formam importante subsídio para tomada de decisão.

7. Desenhe a melhor estrutura para apoiar a tomada de decisão
Os CEOs precisam avaliar como se dão os processos de tomada de decisão de suas empresas – se são centralizados ou espalhados nas unidades de negócio – para, então, implantar os modelos organizacionais analíticos que possam alavancar seu potencial.

8. Ajude seus experts a serem ainda melhores
Identifique seus especialistas em dados, como estatísticos e econometristas, e desenhe programas para que eles possam ampliar suas habilidades. Lance mão de princípios de aprendizagem para adultos, como treinamento on-the-job e cursos de atualização on-line. Considere oferecer certificações formais para os que concluírem com sucesso esses cursos.

9. Crie uma cultura de dados em sua empresa
Forneça as ferramentas, a tecnologia e a capacidade de processamento necessárias para que as equipes possam descobrir novos padrões, identificar correlações e realizar análises. Procure também criar condições propícias para que os times abandonem antigas práticas que não funcionam mais, e adotem novas soluções. O erro não pode ser tratado como algo vergonhoso, mas sim com parte fundamental deste processo constante de inovação. Tudo isso faz parte da construção de uma cultura em que dados, e não suposições, são usados para enfrentar os problemas e onde as pessoas se sentem confortáveis com mudanças constantes.

> Fonte: Portal SM.

> Texto também publicado no site da FCDL.

Começa hoje o Bazar Liquida Palhoça!

O Bazar Liquida Palhoça, realizado pela CDL Palhoça em parceria com o SEBRAE/SC, tendo ainda o apoio da Prefeitura Municipal de Palhoça e da Band FM, começa hoje (06/10) no ginásio de esportes Palhoção, segue no sábado (07/10) e finaliza no domingo (08/10), sempre das 10h00m às 20h00m.

No Liquida Palhoça, 50 estandes de vendas estarão disponibilizando produtos com até 70% de desconto. É numa excelente oportunidade para colocar o guarda-roupa em dia com produtos diversos como roupas, calçados, bolsas, óculos e demais acessórios.

Na área externa do Palhoça, o SESC marcará presença com atividades recreativas para as crianças. O local também receberá a tradicional Feira da Solidariedade com produtos artesanais. O público também contará com nove opções gastronômicas, incluindo Cachorro-Quente, Crepes, Chopp, Hambúrguer, Milk Shake, Pastéis, Sanduíches, Sorvetes e Sucos. Para completar a agenda de atividades, a Blitz da Band FM  estará presente no dia 07/10, das 11h00m às 15h00m, com distribuição de pipoca para o pessoal e entradas ao vivo na programação da rádio.

Avise seus familiares, amigos e colegas de trabalho e venha prestigiar esta o maior evento de moda do comércio palhocense.

 

Serviço
O quê: Bazar Liquida Palhoça
Quando: Dias 06, 07 e 08/10/2017 das 10h00m às 20h00m
Onde: Ginásio de Esportes Palhoção – Rua José Alfredo de Brum – Centro – Palhoça – SC 
Quanto: Entrada gratuita

CDL Palhoça

Click to open a larger map