Reinvenção para recuperar a economia

Lojista associado da CDL Palhoça, confira abaixo um artigo sobre a importância de estar atento às novas tecnologias para obter sucesso nos negócios.

Empresas e profissionais precisam se reinventar

Pesquisa realizada pela consultoria Signium com CEOs de empresas de médio e grande porte revela que esses profissionais acreditam na capacidade de recuperação da economia local. Acostumados a desafios e metas ousadas, eles acompanham de perto a instabilidade histórica do Brasil, o movimento global e as inovações tanto das áreas tecnológicas quanto das relações humanas.

Para traçar o cenário, a Signium ouviu 41 presidentes de empresas com sede em seis estados; 32% delas faturam acima de R$ 1 bilhão por ano, com atuação em diferentes segmentos – serviços, indústria de transformação, agronegócios e bens de consumo.

“O estudo, de certa forma, veio validar nossa percepção”, explica Marcelo Apovian, managing partner da Signium Brasil e membro do Board Global. “Nossa proximidade com os líderes de médios e grandes negócios permite uma leitura muito precisa do que está impactando as decisões e, consequentemente, os resultados do negócio”.

O futuro do trabalho

Ponto predominante entre os presidentes ouvidos pela consultoria é a instabilidade histórica do ambiente de negócios no Brasil. Além disso, há uma preocupação com a influência rápida e crescente do digital nos negócios tradicionais. Praticamente todos reconhecem que é um processo irreversível; o que muda é a velocidade de reação.

Dos 41 presidentes entrevistados, 24 disseram estar convencidos de que precisam reinventar o modo como trabalham; 11 deles confessam se sentir ameaçados pelos novos rumos. Outros 5 vislumbram a possibilidade de robôs, drones ou softwares assumirem boa parcela das atividades operacionais, o que causaria a demissão de milhares de trabalhadores em alguns nichos. A boa notícia é que a maior parte está atenta às inovações e já trabalhando na revisão de estratégias e busca de soluções.

Formas de contratação

Mesmo com a recente reforma trabalhista feita pelo Governo, os executivos ainda preferem, em sua maioria (85%), contratar por meio do modelo americano, com menos regras e encargos. Somente 14% responderam que optam pela nova CLT. No universo pesquisado, aderência à cultura da empresa e capacidade de entregar resultado são aspectos mais pontuados na escolha dos profissionais por parte de cerca de 90% dos presidentes ouvidos.

A pesquisa também demonstrou que 80% dos entrevistados confiam nas consultorias de executive search para contratar novos talentos e posições estratégicas. “Aderência à cultura da empresa e capacidade de entregar valor são aspectos cruciais na escolha dos profissionais por parte de cerca de 90% dos presidentes entrevistados para o estudo”, observa Marcelo Apovian.

O que tira o sono dos presidentes

O país ainda atravessa a ponte para a retomada de crescimento e isso traz incertezas para empresários de qualquer porte e setor. É sentimento comum que as empresas precisam seguir a vida, pautar decisões com fundamento de mercado e promover o alinhamento de suas atividades e gestão, sem ficarem paralisadas frente às oscilações do país. A preocupação, portanto, existe para todos.

Muitos afirmam que a sua principal angústia, o que rouba o sono, é a instabilidade histórica do Brasil na política e na economia, o que acaba por dificultar a sobrevivência dos negócios. Outras fontes de ansiedade são a concorrência, a solidão na tomada de decisões e a transformação imposta pelo ambiente digital.

> Fonte: Portal Newtrade

> Texto também publicado no site da FCDL.

CDL Palhoça realizará Bazar Liquida Palhoça em setembro

Reuniões preparativas com os lojistas participantes já estão em andamento

Neste ano, o Bazar Liquida Palhoça acontece nos dias 21, 22 e 23 de Setembro, no ginásio de esportes Palhoção. O evento, realizado pela CDL Palhoça, oferece produtos como roupas, bolsas, calçados, óculos e demais acessórios de marcas e lojas com credibilidade com até 70% de desconto.

Em sua quarta edição, o Bazar Liquida Palhoça já está consolidado como o maior evento de moda da cidade, e contará novamente com apoio institucional da Prefeitura Municipal.

As reuniões preparativas com os lojistas já estão em andamento. Nos próximos encontros, serão abordados temas como a estrutura do evento, planejamento de mídia, entre outros.

Lojistas interessados em participar do bazar podem ir à sede da CDL Palhoça, localizada na Rua 24 de Abril, nº 2943, 2º Andar, Palhoça/SC ou entrar em contato pelo telefone (48) 3242-1900. O atendimento na CDL é de 2ª a 6ª feira, das 08h30m às 18h00m.

Para o presidente da CDL Palhoça, Josué da Silva Mattos, é muito importante a continuidade do evento, pois o bazar já está inserido no calendário da cidade. “Todas as três edições do Liquida Palhoça foram um sucesso, tanto para os lojistas quanto para o público participante que pôde encontrar produtos de qualidade com preços acessíveis. Assim, fortalecemos os laços entre as lojas e os consumidores palhocenses, além de criar mais um evento importante para nosso comércio”.

Workshop “Oratória: a arte de falar em público”

Inscrições abertas para o workshop “Oratória: a arte de falar em público”

Um medo muito comum entre os profissionais das mais diversas áreas é o de falar em público. No entanto, essa habilidade de se comunicar verbalmente na presença de outras pessoais é uma ferramenta estratégica tanto para lideranças quanto para profissionais de venda e atendimento. Afinal, comunicar-se com conhecimento, técnica e entusiasmo, conquistando empatia, torna a mensagem mais clara e melhor aceita pelo receptor da informação.

Por isso, a CDL Palhoça vai realizar no próximo dia 15 de maio o workshop “Oratória: a arte de falar em público”, ministrado pelo professor universitário Emmanoel Jose Lourenço. O evento, que tem vagas limitadas, acontece das 19h00m às 22h00m na sede da entidade, situada na Rua 24 de Abril, nº 2943 – 2º Andar, no Centro de Palhoça. 

O workshop trará técnicas, reflexão, dinâmicas e dicas de como utilizar comunicação verbal e não-verbal, oportunizando aos participantes melhorar o seu desempenho de falar em público, para o aperfeiçoamento pessoal e profissional. Na oportunidade, serão abordados os seguintes tópicos: Marketing pessoal; Voz e fala; Barreiras para uma comunicação eficaz; Requisitos de uma boa comunicação oral (entonação, dicção, respiração, ênfase); Ferramentas da comunicação oral.

Sobre o palestrante

Emmanoel Jose Lourenço é  palestrante, assessor e consultor empresarial nas áreas de Marketing, Vendas, Comunicação, Motivação, Liderança, Desenvolvimento de Equipes, Comportamento e Gestão de Pessoas. Jornalista com atuação como repórter, editor e apresentador da RBS TV. Especialista em Comportamento e Gestão de Pessoas. Como professor universitário atua nas áreas de Jornalismo, Administração, Agronegócios e Gestão de Pessoas.

Vagas e informações sobre o workshop pelo telefone (48) 3242-1900. Siga também a CDL Palhoça nas redes sociais para ficar sabendo de novos cursos, palestras e workshops.

Facebook: https://www.facebook.com/palhocacdl/

Instagram: https://www.instagram.com/cdlpalhoca/

 

Gestão de estoque

Controlar o estoque é uma atividade muito comum entre os varejistas, mas que requer um cuidado redobrado porque, afinal, dinheiro parado não rende. Assim, lojista associado da CDL Palhoça, confira abaixo um artigo para ter sucesso na gestão de seu estoque:

O segredo do sucesso para a gestão de estoque

Toda empresa que trabalha com revenda de produtos e demanda a formação de estoques tem o desafio de comprar e vender produtos no momento correto. Uma vez que a atividade central é a revenda de produtos, não vender significa estoque empoeirando dentro da empresa, que por sua vez significa dinheiro parado não rentabilizado.

Infelizmente, há muitas empresas apenas focando no monitoramento da receita em curto prazo, sem olhar para o comportamento dos estoques e o seu prazo de pagamento. Aí mora a maior armadilha de uma deficitária gestão de estoque.

Se esta é a realidade da sua empresa ou caso queira se prevenir deste grande equívoco, entenda que há três pilares fundamentais na gestão, seja ela qual tamanho ou segmento for: fluxo de caixa, gestão de estoque e atendimento ao cliente. E acredite: a gestão de estoque está em cada pilar.

Esse tipo de gestão demanda a existência de um controle adequado sobre os processos de inventário, cadastro, distribuição, performance de venda e definição de sortimento. Confira a correlação entre eles:

Inventário: nesta etapa o varejista deve garantir a correspondência daquilo que tem fisicamente no estoque e registrado no sistema.

Cadastro: cadastros incorretos podem gerar avaliações incorretas sobre a existência de produtos, bem como sobre o volume disponível (quantidade);

Distribuição: a alocação indevida de volumes entre os pontos de venda de um varejista pode gerar acúmulo de estoque em algumas unidades e falta de estoque em outras;

Performance de venda: o monitoramento adequado de venda permite uma resposta mais ágil do varejista na correção de preços e no abastecimento.

Sortimento: a definição de um sortimento de produtos inadequados para o perfil de consumo do público alvo da loja, pode gerar estoque parado dada a baixa performance de vendas.

Todos esses processos abrem um leque de indicadores que, impreterivelmente, devem ser monitorados na gestão de estoques.

Indicadores com Giro de Estoque, Cobertura de Estoque, Overstock, Perda de Inventário, Aging e Ruptura podem ajudar a empresa a melhor identificar a qualidade de seu estoque e as correções de rotas a ser feitas. Importante pontuar o PMP, um indicador que mede o prazo médio dos pagamentos realizados ou a realizar para os fornecedores.
Para o varejista é crucial que a venda do produto ocorra antes da necessidade de pagá-lo ao fornecedor, isso porque não gera a necessidade de captação de recursos para esta finalidade. A falta de sincronia reduz a disponibilidade financeira do varejista e sua capacidade de realizar novas compras.

Diante de tudo, é preciso ressaltar o principal elo: o cliente. O produto adquirido pelo varejista mas não disponível ao cliente por falha no estoque gera insatisfação. Já a restrição de fluxo de caixa limita a reposição ou compra de novos produtos, e alcança indiretamente seu cliente.

> * Pedro Ribeiro é sócio fundador da Peers.

> Fonte: Portal Newtrade.

> Texto também publicado no site da FCDL.

Valorize a disposição dos produtos

Numa loja física, a boa disposição dos produtos pode fazer toda diferença na hora do cliente definir sua compra. Por isso, lojista associado da CDL Palhoça, fique confira os dados de uma pesquisa encomendada pela Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos e Serviços para o Varejo (Abiesv) que revelam a importância da exposição correta dos produtos, entre outros itens que podem tornar sua loja muito mais atraente para o consumidor:

Consumidor brasileiro valoriza exposição dos produtos em loja

Da fachada da loja até o seu provador foram vários os tópicos abordados pela pesquisa encomendada pela Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos e Serviços para o Varejo – Abiesv, realizada pela Qualibest, primeiro Instituto de Pesquisas online do País (com mais de 250 mil usuários cadastrados). Entre as várias constatações importantes aos lojistas estão 56% dos consumidores (de lojas de shopping), de um universo de 616 entrevistados, acham que o fator mais importante em um estabelecimento comercial é a boa disposição dos produtos; 53% se importam com o serviço de caixa, que deve ser rápido; e 39% querem amplo espaço para circulação.

E, ainda, 38% se preocupam com a boa climatização (ventilador e ar condicionado) e 31% com bons provadores. No caso de consumidores de lojas de ruas, as porcentagens sofrem algumas poucas alterações. Chama a atenção, por exemplo, a boa climatização que sobe para 43%.

O consumidor, também, nota outros aspectos, mas com menor relevância, como bons provadores (32%), boa sinalização de setores (23%), fachada atrativa e espaço para descanso, como sofás (ambos com 17%) e música ambiente agradável (12%). Segundo Akira Nagata, presidente da Abiesv, o estudo faz parte de uma série de sondagens que pretende mapear o comportamento do consumidor brasileiro, com a intenção de fornecer informações para subsidiar a cadeia de fornecimento do varejo abrangida pela Associação.

“Apesar do avanço digital, sabemos que há consumidores que não deixam de comprar em lojas físicas ou os que adquirem produtos em canais físicos e digitais. Nosso objetivo é buscar insights que possam fazer com que o setor esteja alinhado às ideias de consumo e que possa contribuir ainda mais com a criação de espaços agradáveis para os clientes”, explica Nagata.

Fachada atrativa

Comparando aspectos físicos da loja em geral, como espaço, provadores, caixa, entre outros, a fachada não aparece com alta relevância. Porém, é um aspecto fundamental para atrair consumidores à loja. Por meio dela, consumidores já conseguem ter uma primeira impressão se possuem identidade e se combinam com a loja.

De acordo com o universo pesquisado, 63% acham que a fachada é fundamental para identificar a marca; 59% identificam se a loja combina com seu gosto pela fachada (destes, 62% são do sexo feminino).

Analisando a fachada, 57% dos entrevistados decidem se vão entrar na loja ou não (60% do sexo feminino) e a mesma porcentagem já sabe se a loja é cara ou barata. E, ainda, 50% já sabem se tem produtos de qualidade pela fachada.

Provadores amplos

A maior parte dos consumidores costumam usar o provador antes de comprar (74% sempre e 22% as vezes). E o mais importante é encontrar um provador com espaço amplo, foi o que apontou 30% dos entrevistados. Uma boa iluminação, também, está entre os principais requisitos (20%), seguido de ter uma boa ventilação (18%), vários espelhos (15%) cabideiro (11%e poltrona (7%).

Universo – dos entrevistados, 51% são do sexo masculino e 49%¨do feminino. Entre 18 e 66 anos de idade (55% deles estão entre 25 e 44 anos). São das classes sociais A, B e C, de várias partes do País, mas predominantemente dos estados de São Paulo (27%) e de Minas Gerais (12%). Destes, também 79% costumam fazer compras em lojas de shopping centers, 57% em lojas de comércio de rua e os demais em feiras livres e outros. 54% fazem compras também pela Internet.

> Fonte: Portal Newtrade

> Texto também publicado no site da FCDL.

CDL Palhoça

Click to open a larger map