Posts Tagged ‘Marketing’

O que todo empreendedor iniciante deve saber sobre marketing

Muitas vezes, o que motiva um empreendedor é a possibilidade de ter o seu próprio negócio e expressar a sua arte, ou seja, desenvolver serviços e produtos diferenciados, alinhados com a sua experiência, e que sejam feitos ao seu estilo.

Mas somente isso não garante o sucesso da empresa. Desde os primeiros passos, é fundamental que o empreendedor cuide do marketing, para construir a sua imagem e divulgação. Afinal, quem não é visto não é lembrado, inclusive na hora da compra.

Basicamente, há quatro pilares que precisam ser trabalhados, popularmente chamados de “4 Ps do Marketing”: Produto, Preço, Praça e Promoção. Confira, a seguir, as principais dicas que separamos para ativar o marketing, facilmente, todos os dias:

Produto

Pense na melhor formatação que você dará nas vendas dos seus produtos ou serviços. Por exemplo: o que entregará? Quais os diferenciais? Como será a apresentação? Quais os principais benefícios? Em que pontos o seu produto é melhor do que os da concorrência?

Preço

Seja claro na sua oferta em termos de preço, condições de pagamento, garantias etc. E certifique-se de que o preço esteja bem elaborado para remunerar a empresa, com lucro e margens para garantir o constante investimento em melhorias e crescimento. É importante também conhecer os preços praticados pelo mercado, para se manter competitivo na sua oferta e ser atrativo para os clientes.

Praça

Onde você vende e como distribui os seus serviços e produtos? Esse “P” é muito importante para fazer o empreendedor refletir sobre a sua estratégia de vendas e ter visibilidade junto ao público de interesse. Além de estudar o mercado, é fundamental você conhecer o seu perfil de cliente, para saber onde ele está e focar as suas ações. Nesse item, vale desde a participação em feiras e eventos até a elaboração de uma vitrine mais elaborada e o uso de peças promocionais, para ativar o seu ponto de venda.

Promoção

É a maneira como você oferta o seu produto ou serviço. Hoje, quais os melhores meios de divulgação para a sua marca? Para todos os empreendedores, inclusive para os iniciantes, é fundamental investir em um site para a sua empresa, nas redes sociais e em campanhas de e-mail, por exemplo. Assim, a sua marca é vista pelas pessoas certas.

Para começar já a trabalhar o marketing do seu projeto, faça uma pesquisa rápida para conhecer melhor o perfil do seu consumidor (sexo, idade, onde mora, hábitos de compra, redes sociais preferidas, o que busca com o produto etc.), ver como está o mercado e conhecer a concorrência.

Com esses dados em mãos, vale a pena dedicar algumas horas para pensar em um planejamento básico de marketing. Comece formatando o seu produto e a maneira como vai oferecê-lo. E, depois, defina a estratégia de distribuição e divulgação. Se der um passo a cada dia, logo terá resultados surpreendentes, além de uma marca mais forte, com mais vendas.

> *Mônica Lobenschuss é fundadora da Social Lounge.

> Fonte: Portal Newtrade

> Texto também publicado no site da FCDL.

Sete dicas de Marketing Digital para aumentar as vendas online

As estratégias de marketing digital são parte fundamental de um empreendimento de sucesso. Ter uma boa ideia, começar um negócio e oferecer um produto de qualidade são passos para o êxito. Contudo é preciso saber como levar as boas ideias aos consumidores certos, e é nesse ponto que o marketing digital se faz vital para qualquer negócio.

Consolidar a marca, fidelizar o público e manter as vendas em alta são desafios diários enfrentados pelos micros, pequenos e médios empreendedores, que ainda competem com grandes marcas consolidadas no ambiente digital. Porém, aprendendo como criar e sustentar uma estratégia de marketing digital bem definida é possível conquistar seu lugar no mercado.

A Wunder Digital, startup focada na capacitação de empreendedores e profissionais digitais, listou sete pontos fundamentais para o sucesso do marketing digital e aumento no número de vendas das micros, pequenas e médias empresas. “O marketing digital é parte fundamental do sucesso de um negócio. Micro, pequenos e médios empreendedores podem fazer a diferença seguindo passos simples para alcançar grandes objetivos”, afirma Nils Kauwertz, CEO & Fundador da Wunder Digital. Confira as dicas:

1) Conheça seu público-alvo

O marketing mais eficaz nasce a partir do conhecimento do seu público-alvo. Você vai aprender 100 vezes mais falando com um cliente em potencial pelo telefone ou pessoalmente do que apenas com interações online. Para começar esse contato, ofereça um brinde como um e-book relacionado ao tema do seu negócio, por exemplo. Em troca, os interessados têm que fazer um cadastro simples com nome, endereço de e-mail e telefone. Com isso, você poderá entrar em contato diretamente com seu público e descobrir o que eles acham do conteúdo, quais são as necessidades deles e como seus produtos podem ajudá-lo. Isso vai criar uma estratégia muito poderosa, que fala intimamente com o seu público.

2) Mostre seu diferencial

Tenha um posicionamento único. Se você é o primeiro, o maior, o mais bonito, o mais rápido e o mais eficiente, não deixe de comunicar isso para o público. O seu negócio tem um diferencial, não deixe de aproveitá-lo. Esse argumento pode ser uma arma poderosa para se estabelecer na mente do seu cliente. Se toda vez que o cliente pensar em “qualidade” e essa palavra estiver ligada ao seu negócio, acredite, você alcançou algo grande. Se a sua empresa ainda não tiver um diferencial, desenvolva, isso vai fazer diferença no seu negócio. O conceito está diretamente ligado ao próximo ponto: produzir um conteúdo único.

3) Conteúdo diferenciado atrai e convence

Marketing digital quase sempre tem o conteúdo como ponto de partida. A cada dia, mais e mais materiais são produzidos. Para se destacar no meio de tanta informação, o seu conteúdo tem que ser exclusivo. Isso você pode fazer mesmo sem investir nada, apenas usando a sua personalidade, bom humor, criatividade e as suas experiências e expertise para criar textos, imagens, anúncios e vídeos que são realmente únicos.

4) O canal certo faz a diferença

No começo, foque em, no máximo, três canais de marketing digital. Lembrando que focar em apenas um e alcançar uma massa crítica também traz excelentes resultados. Um erro comum é acreditar que você tem que estar em todas as mídias. O melhor é focar no canal que faça mais sentido para o seu tipo de conteúdo. Você tem conteúdo escrito? Crie um Blog. Está trabalhando com beleza, fitness ou comidas? Foque em plataformas com destaque para imagens, como o Instagram. Tem conteúdo de vídeo? O YouTube pode ser um bom caminho.

5) Estude os concorrentes

Uma pesquisa profunda da concorrência é muito importante. Analise o conteúdo de website e redes sociais, receba os emails que eles estão mandando, ligue e veja como estão vendendo o produto, oferecendo benefícios e como lidam com objeções. Depois compare, de forma honesta, com seu marketing e a sua forma de vender. Dessa maneira, você pode melhorar os pontos que achar necessário no seu negócio, descobrir as falhas da concorrência e se beneficiar delas.

6) Transmita confiança

Se você ainda não é uma empresa ou marca conhecida, pode levar até 9 interações para as pessoas confiarem o suficiente na sua empresa para comprar, segundo estudo da Rakuten Marketing. Por isso, é essencial que você tenha tudo pronto para desenvolver um relacionamento e transmitir confiança. Mantenha seus perfis em redes sociais atualizados e com informações sobre você e seu contato bem claras, faça isso também no seu site e esteja pronto para atuar no pós-venda. Esses simples passos podem garantir o sucesso da sua venda e a fidelizar o cliente.

7) Não esqueça do e-mail marketing, ele é importante

Muitos empreendedores estão focados exclusivamente nas redes sociais, e descartam o e-mail marketing. O pensamento mais comum é: “eu recebo tantos emails, não acredito que pode ser efetivo”. Mas a verdade é que o e-mail marketing ainda é o canal com o melhor retorno sobre investimento do marketing digital, segundo uma pesquisa realizada pela McKinsey & Company, um e-mail é 40 vezes mais efetivo para aquisição de novos clientes do que redes sociais. Lembra-se do último ponto? As pessoas precisam ter alguns contatos com a sua marca até elas confiarem em você. O e-mail marketing é uma maneira muito efetiva de fazer isso e se comunicar com o seu público-alvo de forma fácil e barata.

> Especializada na qualificação e capacitação de empreendedores e profissionais digitais, a Wunder Digital oferece cursos de marketing digital, redes sociais e SEO.

> Fonte: Portal Newtrade

> Texto também publicado no site da FCDL.

Marketing de conteúdo e redes sociais revolucionam mundo das vendas

Por  José Ricardo Noronha*

Levantamentos de instituições renomadas, que se dedicam ao estudo das realidades e tendências no fascinante mundo das vendas complexas, vêm trazendo dados cada vez mais substanciais sobre o crescimento de uma nova revolução. Trata-se da chamada “venda social”.

De forma bastante resumida, a “venda social” está umbilicalmente relacionada ao perfil do “novo cliente” no mundo das vendas de alta complexidade. Um cliente muito mais informado, exigente e reticente. E, algumas vezes, até arisco aos vendedores das antigas, que ainda não se deram conta de que hoje todos nós, vendedores, dispomos de inúmeros novos meios sociais para estabelecer conexões mais inteligentes com nossos clientes e prospects.

Venda social está, portanto, ligada à crucial tarefa de bem utilizarmos as redes sociais para construir diálogos mais próximos, customizados e efetivamente ligados às necessidades e desafios que nossos clientes têm enfrentado.

E está relacionada também à cada vez mais fundamental tarefa de fazer o bom uso dos meios sociais para pesquisar mais sobre nossos clientes, para criar novos canais de prospecção, utilizando, por exemplo, o LinkedIn com maior eficácia. Sem falar no compartilhamento de conteúdos que, de fato, sejam relevantes e atraentes para os públicos que são atendidos por nossas organizações.

Dentro deste conceito, podemos destacar o crescimento acelerado das estratégias de marketing de conteúdo. Empresas de diversos portes e indústrias têm dedicado esforços e investimentos cada vez mais substanciais na produção de bons conteúdos que sejam altamente orientados e focados nos problemas, desafios e oportunidades que são enfrentados pelos seus clientes e prospects.

Peço também sua especial atenção a outros dados importantes:

• Segundo a plataforma Influitive, 84% dos compradores no mundo das vendas consultivas (B2B) têm iniciado seus processos de compra a partir de recomendações;

• De acordo com o LinkedIn, 3 entre 4 compradores no mundo das vendas complexas confiam nas mídias sociais para se engajar com pares e amigos sobre suas decisões de compra;

• A consultoria Forrester estima que 1 milhão de profissionais de vendas consultivas deverão perder seus empregos até 2020 em virtude de clientes que irão privilegiar o processo de compra via e-commerce;

• No mundo das vendas inteligentes e da “venda social”, fazer bom uso de ferramentas como o LinkedIn para pesquisar mais sobre os prospects, de ferramentas de CRM para um melhor e mais disciplinado controle de todas as interações com nossos clientes e também de ferramentas de automação de marketing nunca foi tão essencial quanto agora.

Diante de tantos dados consistentes e até alarmantes, ofereço uma “dica de ouro” para você, que é líder ou profissional de vendas consultivas: inclua as habilidades e competências de mídias sociais e da chamada “venda social” ao ferramental de treinamento e capacitação dos seus colaboradores. O processo de vendas no mundo das vendas consultivas passará cada vez mais pela Internet e pelo emergente poder das recomendações.

Quem não dedicar muita atenção a estes pontos pode ficar para trás! Ou melhor: já está ficando!

> * José Ricardo Noronha é vendedor, palestrante, professor, escritor e consultor. Formou-se em Direito pela PUC/SP e tem MBA Executivo Internacional pela FIA/USP. Possui especialização em Marketing, Empreendedorismo, Empreendedorismo Social e Vendas pela Owen Graduate School of Management e é Professor dos MBAs da FIA. É autor dos livros “Vendedores Vencedores” e “Vendas. Como eu faço?”. www.paixaoporvendas.com.br

Três dicas para organizar sua loja estrategicamente e vender mais

prateleiraHá um ditado em marketing que diz: você compra o que você pega; você pega o que você vê. Na hora de dispor seus produtos em uma loja física, é muito importante levar esse conceito em conta. Estuda-se em marketing o comportamento do consumidor para saber como potencializar as vendas em um determinado local.

É sabido que as pessoas costumam andar até o meio de um local ou corredor, olhar ao redor, primeiramente para o lado direito, e retornar. Pode parecer pequeno saber de uma informação dessas, mas saber disso e dispor seus produtos de forma estratégica em uma loja já faz uma diferença grande na arrecadação do fim do mês. Parece mágica, mas é marketing.

Faça o teste: a próxima vez que for no supermercado, repare como ele é feito para que você comece comprando do lado direito e vá andando por toda a loja, inclusive os cantos, como se houvesse um trajeto pré-determinado para orientar o consumidor.

As zonas dos cantos são chamadas de “sombras” e os produtos que ficam nesses locais são chamados de “geradores de tráfego”. Ou seja, não é à toa que pães, carnes, alimentos relacionados à salada e refrigerantes ficam nas pontas. E repare mais: no meio do ‘caminho’ e, de preferência, nas colunas da direita (no centro do corredor), você provavelmente encontrará os produtos mais caros. Por conta do comportamento do consumidor, eles são estrategicamente colocados lá, assim como as “gôndolas”, que deixam os produtos em exposição (e são negociadas nos supermercados).

Para ajudá-los a dispor melhor seus produtos e vender mais, o Pensando Grande separou algumas dicas:

1 – Defina os produtos geradores de tráfego: o que leva as pessoas a irem à sua loja? Quais são os produtos mais procurados e que ‘saem’ bastante? Eles são coisas que realmente levam o consumidor a se deslocar para a sua loja? Provavelmente são

esses os produtos geradores de tráfego da sua PME. Coloque-os nos cantos, fazendo com que o consumidor tenha que andar mais até ele. Isso fará com que o cliente tenha mais contatos com os outros produtos e esteja mais propenso a gastar. Lembre-se: se ele não vê, não pega. E se não pega, não compra.

2 – Obstáculo no meio: alguns passos depois da entrada da sua loja, coloque um móvel bem no centro. A distância vai depender do tamanho da loja, mas entre 3 a 5 passos é um bom ponto de partida. Em cima da mesa, coloque produtos mais baratos ou uma decoração. Isso vai forçar seu cliente a andar para o lado direito, onde estarão as peças que você mais deseja vender. Dependendo do tamanho da sua loja, é recomendável utilizar a tática por várias vezes (lembre-se do supermercado).

3 – Treine seus funcionários: o obstáculo também serve para facilitar o atendimento. Na hora que o cliente parar na mesa de centro, um atendente, gentilmente, pode se oferecer para ajudá-lo. Dessa forma, cria-se o laço com o consumidor e você consegue apresentar a ‘cara’ do seu serviço e da marca logo no início.

Preste atenção nesses detalhes, nas lojas de seus concorrentes bem-sucedidos e repare se eles não aplicam alguns desses conceitos. Implemente-os na sua empresa também e perturbe a concorrência.

> Fonte: Portal Pensando Grande

> Texto também publicado no site da FCDL.

Seis estratégias modernas de CRM para ajudar a melhorar o relacionamento com os clientes

Saiba como utilizar a ferramenta na tomada de decisão para um relacionamento de confiança com os clientes

São Paulo, julho de 2016.

marketingO conceito de gestão de relacionamento com clientes (CustomerRelationship Management – CRM) não é novidade. Empresas de todos os portes e segmentos têm implementado softwares especializados em capturar os dados de clientes e prospects, simplificar os processos de negócios e fornecer maior visibilidade para a empresa.

“No CRM moderno, é fundamental quebrar barreiras departamentais e enxergar o negócio a partir da perspectiva do cliente. Já existem ferramentas que permitem a otimização dos processos críticos de relacionamento, que criam eficiências e ajudam a estabelecer experiências extraordinárias”, afirma Enrique Perezyera, vice-presidente da SugarCRM para a América Latina. O executivo destaca que as soluções modernas podem ser utilizadas por usuários não técnicos, de qualquer área da companhia.

Perezyera lista abaixo seis boas práticas a serem implementadas por meio de uma solução de CRM moderna e eficiente, capazes de apoiar a tomada de decisão para um relacionamento de confiança com os clientes:

1)  Melhora de alinhamento entre marketing e vendas

Em muitas empresas, vendas e marketing são áreas distintas. As organizações geralmente alavancam ferramentas de automação de marketing para aumentar e nutrir contatos e simplesmente os encaminham para a equipe de vendas. Mas como o atendimento se torna cada vez mais importante, é preciso reduzir a distância entre a geração de contatos e os processos de vendas.

“Um dos perigos dessa distância é a falta de visibilidade e contexto sobre a verdadeira natureza do contato. Embora altamente qualificada, muito mais informações e trabalho são necessários para rotear e engajar um prospect qualificado”, explica Perezyera. O CRM moderno pode adicionar regras de roteamento muito mais sofisticadas para garantir que cada contato novo seja enviado ao agente certo, e que os clientes existentes não sejam enviados aos agentes errados, reduzindo a “canibalização de contatos”.

2) Criar uma visão total do cliente

Conforme os prospects se tornam clientes e as organizações procuram retê-los, é vital ter uma visão que inclua as interações já realizadas, as preferências e outras informações pertinentes que podem ajudar a organização a construir um relacionamento estreito. Enquanto muitas fontes de dados podem realizar essa visão, o CRM deve ser a ligação que conecta todos os dados: um local onde qualquer um possa saber sobre a jornada do cliente e compreender como obter sucesso nas próximas fases. Além disso, a plataforma deve ser escalável e não restritiva, o que significa que deve crescer com o aumento da sua utilização, gerenciar volumes crescentes e tipos de dados com objetivo de capacitar funcionários que estão na linha de frente.

3) Fornecer os dados certos, para a pessoa certa, no momento certo

É fundamental que o CRM forneça inteligência e contexto para cada funcionário que se relaciona com os clientes, garantindo uma experiência moderna ao usuário que compreenda o contexto da interação e a função do usuário. Ao fornecer visões baseadas em dados sensíveis ao contexto, os usuários podem rapidamente identificar indivíduos, acessar as informações ou concluir as tarefas necessárias para auxiliar com sucesso esse cliente, ao longo da jornada.

4) Entrega mais rápida: clientes mais satisfeitos

A gestão de processos combinada com os dados corretos do cliente pode ajudar a mobilizar colaboradores e promover uma experiência de maior impacto – especialmente após uma venda ser feita. Por exemplo, ferramentas de fluxo de trabalho avançadas podem iniciar processos de pós-vendas, tais como o cumprimento do pedido e a garantia de que os produtos ou serviços corretos sejam entregues ao cliente. Isso reduz lacunas na entrega de serviços e produtos, aumentando o tempo para a renda e a satisfação do cliente.

5) Atender e exceder as expectativas de clientes – sempre

Além de garantir que produtos e serviços sejam entregues de maneira oportuna, é também importante certificar-se de que os problemas do cliente sejam resolvidos rapidamente e que seja fácil acessar os conhecimentos no processo de resolução.

Em muitas indústrias, o nível de atendimento que um cliente recebe é regido pelos contratos de níveis de serviço (SLAs). A habilidade de uma empresa em atingir seus compromissos é crítica para vencer e reter clientes. No entanto, sem ferramentas inteligentes que gerenciam a obtenção de SLAs, as organizações podem quebrar os contratos e a confiança de seus clientes sem mesmo perceber. O ideal é contar com um CRM orientado a processos, que apoie todo o ciclo de resolução de atendimento.

6) Garanta um fluxo de caixa mais previsível

Embora muitos sistemas CRM ajudem a fechar negócios, eles podem não monitorar a forma de pagamento definida. Isso acontece porque o CRM tradicional pode ser focado somente na oportunidade de vendas e não na jornada completa.

Em um mundo em que a “economia de assinatura” ou modelos de pagamento recorrentes estão se tornando comuns, a falta de pagamento pode levar a um sério problema de fluxo de caixa.

Ao embutir processos poderosos de negócios em todos os departamentos que têm contato com o cliente, o CRM pode levar a gestão da jornada ao próximo nível.

Sobre a SugarCRM

A SugarCRM é uma companhia especializada em tecnologia para CRM (CustomerRelationship Management), cujas soluções permitem às empresas criarem relacionamentos extraordinários com seus clientes. Diferentemente das soluções tradicionais que se concentram principalmente na gestão e emissão de relatórios, o software da SugarCRM é flexível, inovador, acessível e capacita o indivíduo por meio de informações detalhadas que transformam a experiência do cliente, possibilitando ações ainda mais assertivas.

Com sede no Vale do Silício (Cidade de Cupertino, na Califórnia – EUA), a SugarCRM ajuda mais de 1,5 milhões de pessoas em mais de 120 países, como México, Reino Unido, Alemanha, Austrália, entre outros.

> Para saber mais, visite www.sugarcrm.com

> Fonte: RMA Comunicação

CDL Palhoça

Click to open a larger map