Archive for Março, 2016

CDL Palhoça e UniSagres realizam Curso de Liderança Transformadora

cursoEntre os dias 11 e 14 de Abril, a CDL Palhoça e a UniSagres (Universidade Corporativa Dom Henrique Sagres) realizam o curso de Liderança Transformadora.

O curso acontece na sede da CDL, localizada à Rua Vinte e Quatro de Abril, 2943, no Centro de Palhoça. Serão 25 vagas, e as atividades acontecem sempre das 19h00m às 22h00m (Carga horária: 12 horas-aula).

Os objetivos do curso, voltado para gestores, empreendedores e chefes de equipe, incluem desenvolver nas lideranças a conscientização da produtividade profissional e as técnicas e comportamentos frente a pessoas e situações; Demonstrar habilidades práticas da liderança, enfocando a interação humana e o foco nos resultados; Proporcionar aos participantes uma visão teórica e prática do processo motivacional e sua interação no trabalho no que diz respeito ao processo decisório, a administração de conflitos e a liderança como estimuladora do trabalho em equipe.

O conteúdo programático está dividido entre Processo de Gestão e Projeto de Vida Profissional, incluindo temas como “O Líder Empreendedor e o Empowerment – A escolha de um caminho para a eficácia”, “Habilidades Políticas Positivas no trabalho – Criando uma visão de grandeza e como ser um efeito multiplicador deste processo”, “A visão de futuro – A otimização das suas metas” e “A criatividade para superar os obstáculos”.

Quem ministra o curso é o educador Elton Soares, que trabalha como consultor organizacional há mais de 20 anos, desenvolvendo talentos humanos. Soares também é psicólogo, com pós-graduação em Administração de Recursos Humanos (INPG) e especialização em Jogos Empresariais. Já realizou palestras em congressos, convenções e encontros pelo Brasil. 

Inscrições e demais informações podem ser obtidas pelo telefone (48) 3242-1900 e pelo e-mail eventos@cdlpalhoca.org.br 

Coquetel de lançamento da 5ª Stammtisch

O presidente da CDL Palhoça (à esquerda) no coquetel de lançamento da 5a. Stammtisch

O presidente da CDL Palhoça (à esquerda) no coquetel de lançamento da 5a. Stammtisch

Na última terça-feira, 22/03/2016, foi realizado o coquetel de lançamento da 5ª Stammtisch, na sede da CDL Palhoça.

De acordo com o organizador da festa, Sidnei Salvador Constante, a 5ª Stammtisch, que acontece no próximo dia 10/04/2016 na Praça 7 de Setembro, no Centro do Palhoça, a festa já está consolidada no calendário da cidade, marcando o início das comemorações de aniversário do município.

O evento de lançamento contou com a presença de autoridades, incluindo o secretário municipal de Assistência Social, Adriano Mattos, a diretora de Comunicação da ACIP, Gisele Machado, o presidente da CDL Palhoça, Josué da Silva Mattos, além de convidados e amigos.

Convidados presentes no coquetel de lançamento da 5a. Stammtisch.

Convidados presentes no coquetel de lançamento da 5a. Stammtisch.

A Stammtisch é uma festa que homenageia os “encontros de amigos” tradicionais da cultura alemã. Pelas 40 barracas que compõem o evento devem passar cerca de cinco mil pessoas, que poderão prestigiar o comércio local, degustar diferentes opções gastronômicas, além de se divertir muito com as animadas bandas musicais alemãs.

A equipe de organização da Stammtisch ainda se encontrará para os ajustes finais desta festa que promete trazer muita diversão e alegria para os palhocenses.

Os interessados em participar da festa com suas barracas devem entrar em contato através do telefone (48) 3242-1900​.

 

Como as redes sociais atuam na gestão de clientes?

internet socialPor Sandra Turchi*

Já se foi a época em que a clientela encontrava dificuldades para entrar em contato com as empresas. Com popularização das redes sociais pelos quatro cantos do globo, elas acabaram sendo entendidas pelo público como uma solução para SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor). Descubra como as empresas podem aproveitar essa oportunidade e fazer uma gestão de clientes eficiente.

Combinando o SAC e as redes sociais

Escrever uma carta, estampar, ir aos correios, enviar e esperar para talvez ser respondido. Com a internet, muitas empresas criavam endereços de e-mail específicos para lidar com a clientela, e muitos ficavam acumulados ou recebiam apenas mensagens automáticas.

Só que com as redes sociais o cliente assumiu o papel de protagonista. Seja uma reclamação, dúvida ou elogio, as mensagens passaram a ser vistas e compartilhadas, atingindo centenas e até milhares de pessoas.

As empresas perceberam que, em vez de acumular cartas ou e-mails, poderiam estar presentes junto ao seu público, criando perfis e páginas nas mesmas redes que eles já usavam para expressar suas opiniões. E assim, aproveitar uma estrutura já disponível como canal de relacionamento, logo, o SAC na era das redes sociais acabou se tornando SAC 2.0.

O SAC 2.0 para gestão de clientes

Quem tem perfis nas redes sociais sabe que a maioria esmagadora coloca, na área de digitação, uma pergunta sobre o que você está pensando ou fazendo. Então, nada mais natural que as pessoas passem a adotar essa oportunidade de resposta para dividir o seu dia a dia. Isso inclui suas experiências de compra.

Como muitas das marcas já possuem seus perfis, elas passam a linkar suas postagens com os perfis oficiais. E aí entra em cena um dos termos mais importantes da gestão de clientes: a interação.

Que tal aproveitar esse momento para criar um relacionamento, oferecendo as respostas para as perguntas feitas ou mesmo desfazer impressões e experiências negativas? É lógico que é preciso tomar cuidado para que a linguagem e a própria conversa sejam feitas de forma a extrair o melhor de cada situação. Mas os resultados compensam, já que, assim como as próprias postagens, passam a ser lidos, curtidos e compartilhados. Uma verdadeira ação de fortalecimento da marca.

CRM Social

O Customer Relationship Management (CRM) aplicado às redes sociais acaba, então, sendo uma ferramenta estratégica que auxilia na conquista de clientes e fidelização da base atual a partir do uso de Facebook, Twitter, Instagram e afins.

É possível, através dele, não apenas desenvolver diálogos produtivos, mas também gerar dados importantes para marketing, comunicação e vendas, para a correção de erros ou mesmo para a elaboração de novas estratégias (conteúdo, publicidade), fortalecendo e estabelecendo uma marca dentro de um mercado competitivo.

Por isso, aproveite as redes sociais para poder fazer uma melhor gestão da sua clientela, melhorar o relacionamento com o público e, com isso, criar melhores oportunidades de venda.

E para poder saber mais do que mundo digital tem para oferecer ao seu negócio, não deixe de ler o artigo 4 estratégias de marketing digital que você precisa conhecer e descubra porque elas são indispensáveis para o seu sucesso!

> * Sandra Turchi é sócia-diretora da Digitalents (www.digitalents.com.br). Consultora e palestrante sobre Marketing Digital e E-commerce

> Fonte: Portal Administradores

> Texto publicado também no site da FCDL.

Quatro passos para cortar custos da sua empresa sem perder a eficiência

cortarcustosCom uma crise econômica sem previsão para terminar, muitas empresas buscam soluções para cortar custos e garantir sua sobrevivência. O grande desafio é conseguir fazer isso sem que a eficiência do negócio seja prejudicada.

O professor de estratégia da Educação Executiva do Insper, Carlos Caldeira, explica que muitos empreendedores não sabem como reduzir os custos da forma correta: “Às vezes, a empresa corta o táxi e o cafezinho sendo que tem coisas muito mais caras que podem ser cortadas”, diz.

José Sarkis Arakelian, professor da Faculdade de Administração da FAAP, afirma que é muito comum se preocupar mais com a parte de vendas e acabar esquecendo dos gastos. “É preciso parar e reavaliar. Comece checando os custos e veja quais ainda são necessários e quais precisam ser redimensionados”. Caldeira e Sarkis listaram os aspectos mais importantes para se considerar na hora de cortar custos e não perder a eficiência:

1. Automação

De acordo com Caldeira, é sempre bom fazer um projeto de aumento de eficiência produtiva. Muitas empresas têm custos que não farão nenhuma diferença para sua eficiência e desenvolvimento. Por exemplo, alguns processos e etapas são desnecessários para a realização de determinadas tarefas. “A automação é uma boa saída para reduzir custos. Ela resolve problemas de contratação”, afirma.

2. Terceirização

Esse é um caso que merece atenção e uma reavaliação. “Às vezes, valia a pena terceirizar um serviço, mas não agora”, diz Caldeira. Ele ainda afirma que o processo contrário também pode ser mais vantajoso. Não é raro que uma atividade interna seja bem mais cara do que se um terceiro a realizasse. A decisão entre terceirização ou internalização de um serviço mudam de caso em caso.

3. Fornecedores

“O mercado não está favorável para ninguém. Todos os tipos de empresas estão tendo que reavaliar seus custos”, afirma Arakelian. É preciso contatar os fornecedores da empresa e tentar algum tipo de renegociação e um possível desconto nos produtos e serviços. Além disso, essa também é uma boa hora para ir atrás de novos fornecedores, que também estão em busca de novos clientes.

4. Custos financeiros

Segundo Caldeira, os pequenos e médios empreendedores ainda têm dificuldade para entender os custos associados ao capital de giro. “É algo praticamente invisível. Muitas empresas percebem que estão perdendo dinheiro, mas nem sabem apontar o porquê”, diz. É preciso ter uma gestão cuidadosa dos estoques – que não podem ser muito grandes – e prestar atenção no prazo de recebimento dos produtos. Quanto maior o prazo de entrega de um fornecedor, maior é o custo da empresa, que deve ter capital de giro suficiente para suprir esse período.

> Fonte: Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios.

> Texto publicado também no site da FCDL.

Clientes que avaliam produtos on-line compram 33% a mais

E-CommerceO levantamento realizado pela Yourviews, empresa especializada em avaliações para e-commerce, monitorou mais de 150 lojas virtuais brasileiras e chegou à conclusão de que 92% dos e-consumidores confiam nas recomendações feitas pelos seus amigos na hora de efetivar as compras on-line.

De acordo com os dados, até 38% dos consumidores que fazem uma pergunta acabam fechando o negócio. Já aqueles clientes que se engajam com análises dos produtos compram 33% mais do que os outros usuários. Além disso, a pesquisa ainda apontou que houve um aumento de 4% no ticket médio, esse crescimento está relacionado com as avaliações de forma que produtos mais caros são melhores classificados pelos consumidores e instigam mais compras.

Ainda segundo o estudo, no ano passado o tíquete médio dessas lojas ficou em torno de R$312,18. O levantamento também levou em consideração as regiões que mais compraram nesse período, dentre elas estão São Paulo com 38%, seguido pelo Rio de Janeiro com 13%, Minas Gerais 10%, Santa Catarina 7%, Rio Grande do Sul 6%, Paraná 5% e Bahia com 3%.

Já a taxa de recompra apresentou um aumento de até 50%. Da mesma forma que, 70% afirmaram que confiam nas opiniões publicadas online por outros consumidores e 75% que as opiniões e não apenas classificações, são “importantes” ou “muito importante” para sua decisão de compra.

> Fonte: Portal Gouvêa de Souza

> Texto publicado também no site da FCDL.

CDL Palhoça

Click to open a larger map