Archive for Fevereiro, 2018

Como saber se você deve demitir um colaborador

Demissões não são a melhor atividade para o empregador. No entanto, como o próprio texto abaixo demonstra, há um momento certo para demitir alguém, dependendo de determinadas circunstâncias, sempre pensando no desenvolvimento saudável da empresa. Associado da CDL Palhoça, confira abaixo mais sobre o assunto:

Como saber se você deve demitir um colaborador

Você já ficou na dúvida se deveria demitir um colaborador ou não sabia quando seria o momento “certo” para que isso acontecesse? Será que existe uma resposta genérica que possa responder sobre todos os casos? Provavelmente, se você perguntar para um consultor em gestão de pessoas, ele dirá: “depende”.

Tudo depende do contexto, da pessoa, das responsabilidades, deveres, entre uma série de outros fatores. Mas lidar com a demissão é algo muito mais sério para tratarmos como uma dúvida.

A maioria dos gestores começa a pensar no desligamento de um colaborador quando alguns questionamentos vêm à tona como, por exemplo, a perda de confiança e a falta de resultados. Neste momento, eles dizem que “fizeram de tudo” antes de demitir. Mas, como você sabe que fez de tudo? Como saber que perdeu a confiança? Essas são perguntas que a maioria dos gestores não sabem responder e isso é uma reflexão que deve ser feita antes de mais nada.

Se tem uma resposta clara para dizer qual é a “hora certa”, eu diria que é o momento em que essa ideia passar pela primeira vez na sua cabeça. Isso não quer dizer agir por impulsividade e demitir o colaborador no primeiro problema que ele lhe trouxer. Quer dizer entender que os desafios no relacionamento entre gestores e colaboradores são diários e que devem ser tratados e resolvidos. Porém, a partir do momento que a situação ultrapassa essa esfera e surge a primeira ideia de desliga-lo, talvez essa seja a hora certa.

Mas, antes de tudo, é preciso voltar e entender o que está acontecendo na base da sua empresa antes de algum desligamento. Ter um papel de líder é fundamental para que a equipe se consolide. Dar feedbacks para melhorar performance, motivar, auxiliar no alinhamento de tarefas e treinamentos é o que vai manter um trabalho sólido que reduza a turnover da sua equipe.

Mas, se a liderança está no caminho certo e, ainda assim, há vontade de demitir um colaborador, faça! Cada dia a mais que você esperar será prejudicial para sua empresa, para você como líder, para sua equipe e principalmente para o funcionário em questão.

Muitos executivos bem sucedidos agradecem grande parte do seu sucesso profissional a uma demissão que vivenciaram em algum momento de suas carreiras. Por isso, o que proponho é repensar sobre a demissão de colaboradores.

Não podemos tratar como algo cruel, mas sim como decisões necessárias para um cargo de gestor, que precisa pensar no desenvolvimento de sua empresa. Como dizia Viet Nguyen, vencedor do Prêmio Pullitzer, “A única coisa mais difícil do que saber a coisa certa a se fazer… é fazer a coisa certa”.

>* Renato Grinberg é especialista em liderança e gestão de empresas.

> Fonte: Portal Administradores

> Texto também publicado no site da FCDL.

Comprar? Reduzir gastos? Ou ambos?

Em momentos complicados na economia do país, muitos lojistas e prestadores de serviços pensam que a estratégia mais sensata é evitar novas compras. Porém, a realidade não é assim tão simples. Fatores como capital de giro, estoque e outros devem ser levados em conta. Associado da CDL Palhoça, confira abaixo dicas para comprar de forma consciente, com riscos reduzidos:

Frear compras para reduzir gastos traz muitos perigos

Comprar menos dos fornecedores para diminuir gastos é sempre uma decisão arriscada. Muitos supermercadistas freiam os pedidos devido a queda nas vendas, pessimismo com a economia, dívidas crescentes, entre outros fatores. Mas essa prática pode complicar a geração de receita e levar a empresa a uma série de problemas.

Alguns consultores de varejo citam redes que tiveram mais de 10% de queda em vendas por terem apertado demais o estoque. Confira a seguir as situações mais comuns que levam os supermercados a diminuir as compras, os riscos que cada situação envolve e o que pode ser feito para evitá-los:

1- Seu estoque está alto e/ou o fluxo de caixa, apertado
Uma empresa descontrolada na hora de comprar, acostumada a fazer pedidos muito grandes que duram tempo demais, pode deparar-se com a necessidade de elevar a rotatividade dos estoques para diminuir a necessidade de capital de giro. Nesse cenário, pode fazer sentido reduzir pedidos, mas apenas dos itens cujo estoque realmente está acima do necessário. Jamais se deve reduzir as compras de maneira aleatória.

Riscos: Simplesmente mandar o comercial comprar menos não é aconselhável por ser uma medida radical e extremamente arriscada, conforme lembra Alexandre Ribeiro, diretor da R-Dias Assessoria para Varejo. “Quem está com estoque equilibrado e decide comprar menos passa a vender menos, porque vai faltar mercadoria”, analisa. O resultado é ruptura e, consequentemente, menor geração de receita.

O que fazer: A decisão correta é fazer o estoque ideal, ou seja, definir quanto, exatamente, é preciso manter de cada produto, em cada loja. O trabalho pode ser feito com ajuda de consultorias. “Nesse estudo, vão aparecer itens para comprar mais e outros para comprar menos”, lembra Alexandre Ribeiro. O objetivo aqui é equalizar os estoques, assegurando a margem de segurança.

2- Suas vendas caem e dívidas começam a preocupar
“Nenhuma venda despenca de uma hora para outra”, alerta Luiz Muniz, fundador da Telos Resultados. Para o consultor, se a queda nos indicadores de resultado não é percebida a tempo, é sinal de que a gestão foi ineficiente. Segundo ele, o primeiro sintoma percebido quando as vendas caem e os estoques estão altos é a redução da capacidade de gerar caixa. Uma vez que a empresa chegou a uma situação como essa, pode ser viável recorrer a algumas promoções, mas desde que não sejam feitas de forma irresponsável. Ou seja, as ofertas devem gerar lucro.

Riscos: Interromper compras e decidir queimar estoque a todo custo, sem análise criteriosa do que deve ser alvo de promoção, pode ser um passo rumo à falência, conforme destaca Luiz Muniz,da Telos.

O que fazer: O caminho mais seguro para decidir sobre a necessidade, o tempo e quais produtos promocionar, é na opinião de Luiz Muniz, calcular a NCG (necessidade de capital de giro), que mede o endividamento da empresa a curto prazo. O indicador considera contas com vencimento num prazo inferior a 30 dia. Deve-se levar em conta ainda o CDG (capital de giro) – quanto de recurso a empresa tem para arcar com os compromissos de curto prazo (30 dias). “Quando o NCG é maior do que o CDG, é o momento de recorrer a promoções, enquanto se inicia a melhoria da gestão comercial e de estoques”, diz o fundador da Telos Resultados.

3- Seu mix tem muitos itens de pouca saída
“Quanto mais SKUs, mais complexa é a operação”, lembra Rodrigo Righi, consultor da Galeazzi & Associados. No entanto, o especialista alerta que a definição do que realmente deve compor o mix precisa considerar a estratégia do supermercado.

Riscos: Antes de reduzir pedidos ou até deixar de comprar certos produtos, analise não só o volume de vendas, mas também o papel do produto na sua loja e a rentabilidade em valor. O foco deve ser o resultado da categoria

O que fazer: É preciso ser assertivo no sortimento, considerando a estratégia da sua loja. As categorias que são destino, devem ter um sortimento com profundidade, recomenda Rodrigo Righi, da Galeazzi & Associados. Afinal, são elas que trazem clientes para a loja. Já nas categorias de conveniência e sazonais, nem sempre é fundamental ter variedade muito grande. Em certos casos, pode-se cortar um dos fornecedores. Mas tudo de forma criteriosa, avaliando quanto de margem esses produtos costumam trazer para a loja.

4- Sua empresa está fortemente endividada
Existem casos extremos em que o grau de endividamento é tão alto que já não há o que fazer além de buscar aporte externo para a empresa não parar suas atividades. O passo seguinte é elaborar um plano de recuperação financeira, ressalta Luiz Muniz, da Telos Resultados. Porém, quando o cenário ainda não é de caos total, a alternativa é conversar com os credores.

Riscos: Lembre-se de que é preciso fazer com que a empresa volte a ter boa capacidade de gerar caixa para reverter a situação de alto endividamento. E, comprar menos – com exceção dos itens cujo estoque atual está acima do necessário ou não têm giro – não ajuda nessa situação. Ao contrário, pode torná-la pior.

O que fazer: A melhor iniciativa é a renegociação de dívidas, transformando aquelas de curto em prazo em dívidas de longo prazo, segundo Luiz Muniz. Paralelamente a isso, o consultor recomenda melhorar a gestão de vendas para garantir a execução de volumes com margens saudáveis.

Fonte: Portal SM

> Confira o texto completo no site da FCDL.

Transforme sua manhã no começo de um dia produtivo

Melhorar hábitos matinais pode render um dia mais produtivo? É o que apontam alguns profissionais. Atividades prazerosas, exercícios físicos, manter distância dos aparelhos eletrônicos, entre outras ações podem transformar sua rotina. Associado da CDL Palhoça, confira agora sete dicas para o seu dia começar com ainda mais vigor.

Sete hábitos matinais de pessoas altamente produtivas

Muitos de nós têm uma relação de amor e ódio com as manhãs em nossas vidas. Geralmente trata-se daquele único momento em que teremos tranquilidade e paz antes de começar o dia – com todos seus problemas. Mas é difícil resistir à tentação de ficar deitado na cama pelo máximo de tempo que podemos.

No entanto, o que os hábitos de pessoas altamente produtivas nos mostram é que para ter um dia frutífero e satisfatório, é preciso começar a ordená-lo e organiza-lo logo cedo. Artigo publicado na Inc., que analisou o comportamento dessas pessoas, mostra que incluir em sua rotina algumas atitudes irá levar sua produtividade a outro nível. Confira abaixo quais são:

1. Comece o dia com algo que você gosta
Cheryl Bachelder, CEO da rede fast-food Popeyes [rede recém-adquirida por empresa do 3G Capital, de Jorge Paulo Lemann], afirmou que sempre começa seu dia ouvindo música. É quando organiza seus pensamentos e prepara-se para o dia que virá. “Para ter energia para liderar é preciso se renovar e se preparar antes de chegar ao escritório. Quando eu consigo honrar esses meus pequenos hábitos matinais, a diferença no meu dia é enorme”, diz. A dica então é pensar naquilo que te ajuda a recarregar energias e considerar fazer aquilo todo dia pela manhã. Seja ler, fazer yoga ou simplesmente ficar quieto tomando café.

2. Faça exercícios de suar a camisa
O CEO do Twitter, Jack Dorsey, corre quase 10 quilômetros todas as manhãs. O CEO da Apple, Tim Cook, acorda às 5h para se exercitar. Você não precisa fazer exatamente o que eles fazem, mas você deveria considerar alguma atividade que realmente o desperte pela manhã. Você, obviamente, sabe qual tipo de exercício é melhor para você, mas o que você não imagina é o quanto isto pode lhe ajudar a se sentir com mais energia e “acordado”. Marque em sua agenda aqueles exercícios para que você tenha certeza que os fará.

3. Planeje com antecedência
“O dia de um presidente começou, na verdade, no dia anterior”. A frase foi dita pelo jornalista Michael Lewis em perfil que ele escreveu sobre o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, para a Vanity Fair. As pessoas mais produtivas garantem sempre que suas manhãs serão organizadas, então elas podem focar em melhorar aquilo que farão no dia ao invés de correr atrás de planejá-los e tentar fazer funcionar. O ex-presidente passava as noites revendo o que tinha agendado para o dia seguinte, bem como lendo aquilo que era necessário para se preparar. Deixar uma manhã turbulenta só irá aumentar sua ansiedade. Você também descansará melhor se souber que está tudo, de fato, encaminhado, analisa a Inc.

4. Esteja presente
John Paul DeJoria, cofundador da tequila Patron, começa seus dias com cinco minutos de reflexão. Isso faz com que ele comece o dia mais renovado e esteja mais presente. Ele costuma dizer que pratica a gratidão – através desses momentos de silêncio – em nome de vários benefícios, como aumentar sua produtividade. Esse momento nada tem a ver com yoga ou meditação. Ele apenas fica deitado na cama pensando naquilo que é grato e em coisas positivas para conseguir iniciar sua manhã.

5. Evite o email o máximo que puder
A Inc cita um estudo realizado pela Microsoft no qual a empresa buscou entender o uso dos emails pelos seus funcionários. Percebeu que eles perdiam, em média, 15 minutos para voltarem a se dedicar a um projeto importante a cada vez que eram interrompidos por um email, ligação ou outra forma de comunicação.

O fundador do Tumblr, David Karp, por exemplo, espera até 9h30 ou 10h antes de checar seus emails e gasta suas manhãs trabalhando em projetos importantes – ao invés de responder emails. “Se algo urgente aparecer, sei que alguém me ligará ou me enviará uma mensagem de texto”, diz. Se você não consegue ignorar por completo os emails, considere, no mínimo, encontrar uma maneira de parar de checar cada novo email que você recebe. Há aplicativos que podem ajudá-lo a organizar melhor.

6. Comece o dia com o que é mais importante
Segundo pesquisadores da Universidade de Nottingham e do National Institute of Education, de Singapura, a medida que o dia vai correndo, nossa produtividade e autocontrole vão despencando. Então, o que isso significa é que fazer as tarefas mais importantes do seu dia pela manhã, antes de fato de seu dia de trabalho começar, irá a te ajudar a se sentir produtivo e no controle da situação.

7. Já fez meditação alguma vez?
Muitos empreendedores de sucesso – como Arianna Huffington e Oprah Winfrey – vivem dizendo os benefícios que a meditação proporcionou a eles. Meditação pode ser uma boa maneira de clarear sua mente enquanto você está se martirizando com algo ou um bom modo de organizar o que virá no seu dia. Isso tudo pode lhe ajudar a melhorar sua saúde e te fazer mais feliz. Pode até ser uma meditação simples, daquelas que um aplicativo de celular oferece.

> Fonte: Portal Newtrade.

> Confira o texto completo no site da FCDL.

Sucesso e praticidade em acordos de cobranças de dívidas

O Setor de Cobrança da CDL Palhoça se destaca pelo atendimento aos clientes, com um serviço ágil que tira a burocracia das empresas dos lojistas associados e profissionaliza os acordos de dívidas com os clientes das lojas. Inserido no setor, o Posto de Atendimento e Conciliação (PAC) é uma extensão do Fórum de Palhoça dentro do espaço físico da entidade, e atende principalmente demandas de cobrança judicial dos associados.

Confira abaixo depoimentos de lojistas associados da CDL Palhoça que utilizaram o PAC e obtiveram resultados positivos.

Aloisio Selhorst, proprietário da loja Aloequipe (Locação de Equipamentos): “Manter uma empresa ou uma loja não é tarefa fácil hoje em dia. Por isso, recuperar um dinheiro que já deveria estar no caixa é muito bom. Já recebi valores de acordos tanto em 2017 quanto nesse ano, e garanto que as cobranças realizadas pelo PAC são o maior sucesso. O dinheiro recebido ajudou na folha do décimo terceiro salário dos funcionários e também foi utilizado para novos investimentos na loja”.

Maristela Moreira Alves, proprietária do Centro Educacional Recrieação: “Como proprietária de uma escola, minha prioridade é a parte pedagógica, claro. Por isso, eu indico o PAC pela praticidade. Assim, quando duas ou três mensalidades ficam em atraso, eu já encaminho para a CDL Palhoça. Isso profissionaliza a cobrança, sem o risco de acrescentar valores indevidos. No dia 10 de cada mês, recebo os valores dos acordos sempre corretamente. O dinheiro é utilizado para investimentos na estrutura da própria escola, como aquisição de material didático. Além disso, a equipe da CDL é ótima no atendimento”.

Aloequipe e Centro Educacional Recrieação: empresas que utilizam os serviços do PAC.

Vale lembrar que as vantagens para os associados que utilizam o PAC incluem agilidade na negociação de dívidas, custo para a utilização do serviço é baixo, todos os acordos são homologados judicialmente e possuem força de título executivo, entre outras.

> Mais informações das empresas:

Aloequipe

www.aloequipe.com.br/

Rua Marginal BR-101, Km 214, nº 800, Pagani, Palhoça/SC

Fone:(48) 3342-5303

Centro Educacional Recrieação

www.facebook.com/centroeducacionalrecrieacao/

Rua Villa Lobos, nº 114, Ponte do Maruim, Palhoça/SC.

Fone: (48) 3342-3271

Liderar com inteligência emocional

Inteligência emocional é a capacidade de compreender as próprias ações/emoções bem como as de seus colaboradores. Quando aplicada por um líder num no âmbito profissional, o ambiente tende a ganhar uma dinamicidade maior. Isto reflete numa maior atenção com os clientes e no compartilhamento de um objetivo comum: o sucesso de todos os envolvidos. Abaixo, o lojista associado da CDL Palhoça confere cinco dicas para se tornar um líder emocionalmente inteligente. 

Cinco qualidades de líderes que esbanjam inteligência emocional

Embora pareçam semideuses aos olhos de muitas pessoas, alguns dos líderes mais venerados no mundos dos negócios compartilham atributos simples que atraem, conquistam e inspiram profissionais a dar o seu melhor. O que eles têm em comum? Em geral, são descritos como pessoas amigáveis, calorosas, acessíveis e reais, de carne e osso, segundo artigo do coach executivo Joel Garfinkle, reproduzido pelo Business Insider.

Na verdade, essas características são indicativos de líderes que esbanjam inteligência emocional. A capacidade de compreender as próprias emoções e as emoções dos seus colaboradores, dando-lhes a oportunidade de melhores relações interpessoais no trabalho, é um atributo imprescindível para quem aspira ou ocupa uma posição de liderança. Portanto, se você deseja ser um líder melhor, mais humano e inspirador, é importante desenvolver seu quociente de inteligência emocional.

Embora esses traços possam parecer algo natural e inato, eles também podem ser aprendidos, desenvolvidos e aprimorados. Confira as cinco qualidades de um líder emocionalmente inteligente:

1. Empatia
A capacidade de colocar-se no lugar do outro e entender como ele se sente é especialmente importante para os lideranças. Analisar questões de diferentes perspectivas e considerar os efeitos a partir de outros pontos de vista pode ser crucial para, diante de um problema, obter um consenso e encontrar uma solução em que todos acabem felizes.

Como praticar: faça sempre um esforço para colocar-se na posição da outra pessoa. Qual é o problema? Qual seria a sua atitude? Isso ajuda a validar e entender a perspectiva do outro. Mesmo que a resposta a um problema não seja o melhor resultado de qualquer ponto de vista, reconhecer as posições e os sentimentos dos outros é um bom caminho para criar aceitação e compreensão.

2. Autoconsciência
Você conhece as situações que revelam o melhor de você? E o pior? Você considerou seus preconceitos e preferências? A autoconsciência é ter uma compreensão de seus próprios sentimentos e de como suas experiências passadas e emoções atuais contribuem para o que você é e como você age. Ou seja, conhecer seus pontos fortes e fracos e quando você pode e não pode confiar em seus próprios instintos pode fazer você um líder ainda melhor.

Como praticar: quando confrontado com um problema ou situação, examine como se sente no momento e tente determinar o porquê. Se você pode identificar as emoções que estão em jogo em sua atitude e sua avaliação do problema, você pode determinar se elas precisam ser dosadas ou modificados por outros fatores.

3. Positividade
Você se considera um otimista? A arte de ser verdadeiramente otimista reside não só na capacidade de manter uma atitude positiva em situações adversas, mas também em oferecer uma liderança sincera e realista que leva a equipe a enfrentar as dificuldades de uma única vez. Os grandes líderes podem ser positivos diante das dificuldades sem perder o controle da situação, e isso inspira muita gente.

Como praticar: quando surge um problema, você está frustrado ou a situação é difícil, tire um momento para considerar os aspectos positivos da questão – se você está construindo uma equipe mais forte , proporcionando uma oportunidade de aprendizagem para alguém ou corrigindo um problema mais profundo, sempre há algo a ser guiado. Ao transmitir o otimismo ao time, seja sincero: a situação pode não ser excelente neste momento, mas você tem confiança de que juntos vocês encontrarão uma solução e, no final, tudo vai ficar Ok. Seja autêntico e positivo, e as pessoas vão querer ajudá-lo .

4. Consideração
Cuidado e consideração pelo trabalho dos outros é um bom jeito de construir um equipe coesa e de alto desempenho. Reconhecer os outros, observando suas contribuições e certificando-se de que eles sempre são ouvidos é fundamental para conquistar as pessoas. Os grandes líderes sabem que conhecer os membros da equipe – profissionalmente e pessoalmente – e cuidar deles e suas carreiras significa, no longo prazo, ter um equipe mais coesa e produtiva.

Como praticar: aproveite o tempo junto com seus colaboradores para conversar, especialmente em momentos quando a pressão está em baixa. Concentre-se em dar aos outros toda a sua atenção, discutir sobre suas carreiras e ajudá-los, na medida do possível, a atingir seus objetivos. Nas reuniões, certifique-se de que todos na mesa tenham tido a chance de expor suas ideias. Se a sua memória não for boa, anote tudo e certifique-se sempre de dar crédito para quem é devido.

5. Autenticidade
Nenhum líder pode desenvolver qualquer atributo de inteligência emocional sem ser sincero. A autenticidade é fundamental na liderança, portanto, seja um livro aberto com sua equipe. Ter outras qualidades de liderança em grande quantidade não compensará a falta de veracidade no que você diz e faz.

Como praticar: sua integridade é primordial para sua reputação como líder, então, apenas diga o que você quer dizer e não faça promessas que você não pode cumprir. Seja confiável e fiel às suas declarações. Pode parecer contraintuitivo, mas quando você comete um erro, admita-o com honestidade e acompanhe as ações necessárias para corrigi-lo. É muito mais fácil recuperar-se de um passo em falso do que de uma perda de confiança.

> Fonte: Portal Newtrade

> Texto também publicado no site da FCDL.

CDL Palhoça

Click to open a larger map