Archive for Março, 2018

Café Empresarial

Novidade na CDL Palhoça, Café Empresarial reúne lojistas e prestadores de serviços

Advogado e conciliador Lucas Vieira Pereira Macedo

No dia 22/03/2018, a CDL Palhoça realizou a primeira edição do Café Empresarial, evento em formato de uma roda de conversa, com o objetivo de aproximar empresários, trazer inovação e unir interesses.

O tema desta edição foi “Os benefícios da cobrança extrajudicial”, que contou com uma apresentação do advogado e conciliador Lucas Vieira Pereira Macedo sobre o Posto de Atendimento e Conciliação (PAC). O PAC é uma extensão do Fórum de Palhoça dentro do espaço físico da CDL, atendendo demandas de cobranças extrajudiciais dos associados. Lucas destacou algumas vantagens da cobrança extrajudicial, como o método de abordagem (com diálogo, impessoabilidade, capacidade de pagamento), o custo (reduzido, pois não precisa de advogados para iniciar o processo e o percentual do resultado é menor do que numa cobrança judicial) e a velocidade do resultado (a meta do PAC é solucionar os processos em até 30 dias após a abertura, enquanto ações judiciais podem levar meses ou anos). Para se ter uma ideia, as estatísticas de conciliações demonstram que no PAC da CDL Palhoça o percentual é de 41%, enquanto no Tribunal de Justiça de Santa Catarina, as conciliações ficam em 14,4%.

Ainda, na mesma oportunidade, o Superintendente da CDL Palhoça, Luiz Otavio Baasch, destacou que a entidade também conta com a recém implementada Câmara de Arbitragem e Mediação (CAMCDL), proporcionando ainda mais vantagens aos lojistas associados na solução de cobranças de clientes devedores.

Após a apresentação, os empresários trocaram informações entre si, com os conciliadores do PAC e também advogados Lucas Vieira Pereira Macedo, Viviani Catarina Macedo, Maria Luiza da Silva Mattos e demais integrantes da sua equipe jurídica, além de participar de um café da manhã especialmente preparado para o evento.

O Presidente da CDL Palhoça, Josué da Silva Mattos, destacou que “o formato de roda de conversa foi amplamente aceito pelos empresários que prestigiaram o evento. O encontro revelou-se uma excelente oportunidade para conhecer pessoas engajadas e novas tecnologias, compartilhando informações e experiências de empresas dos mais variados segmentos”.

O próximo Café Empresarial ainda não tem data definida. No entanto, os empresários participantes assim como demais lojistas interessados serão comunicados pelos veículos de comunicação da CDL Palhoça, como o site da entidade e as redes sociais.

Mais informações sobre o PAC e a CAMCDL pelo telefone (48) 3242-1900.

Empresários prestigiam primeira edição do Café Empresarial

Ritmo de consumo e giro de estoque

Como o lojista mantém seu estoque em dia mantendo no mesmo ritmo a demanda do consumidor, a produção e o abastecimento? Este é um desafio atual que os empresários do varejo enfrentam. Por isso, segue abaixo, para os lojistas associados da CDL Palhoça, um texto sobre a importância do giro de estoque:

Giro de estoque deve estar em sintonia com novo ritmo de consumo

Nos últimos anos, por conta da instabilidade econômica, o brasileiro reduziu o consumo fora do lar e passou a preparar suas refeições em casa. Na prática, começou a comprar mais itens de marcas diferentes com valores mais acessíveis para economizar. Outra mudança importante foi a migração de pessoas dos supermercados para as lojas de atacarejo, comprando em maiores quantidades, embalagens econômicas e promoções.

E para atender às necessidades do consumidor com base em todas essas mudanças, o varejo precisa abastecer e manter seu estoque em dia. Por outro lado, se comprar demais da indústria em relação a um determinado produto, pode ter gastos desnecessários e deixar de investir em outros itens mais urgentes. Já a indústria deixará de vender para o varejo, pois, lá no ponto de venda, está com excesso do produto. E como colocar essa cadeia em sintonia no mesmo ritmo, entre demanda do consumidor, produção e abastecimento?

Durante a Feira Super Rio Expofood, que ocorreu na semana passada, no Rio de Janeiro (RJ), o vice-presidente de operações Latam da Neogrid, Robson Munhoz, explicou como o giro do estoque pode ajudar a entender esse novo comportamento do consumidor adquirido nos últimos anos e porque a indústria e o varejo precisam estar atentos para manter a saúde financeira do seu negócio.

Munhoz destaca que é muito importante entender sobre o giro de estoque do varejo. “Quanto maior, mais eficiente ele será e menor será a necessidade de capital de giro. Quanto mais girar o estoque, maior a entrada e a saída de produtos, e isso significa que um determinado supermercado entende a demanda dos seus clientes”.

Por exemplo: se um supermercado vende 1 mil latas de cerveja por dia e o fornecedor entrega toda semana, ele precisaria comprar somente o necessário para uma semana (7 mil latas). Existem varejos que compram para 3 meses (90 mil latas ou mais), o que afeta o capital de giro e, na maioria das vezes, coloca a saúde financeira do varejo numa situação delicada.

“Mas isso não significa comprar menos da indústria, e sim com maior frequência, em quantidades adequadas”, explica o executivo. Com o monitoramento diário do consumo, o estabelecimento compra conforme a demanda, torna o giro mais rápido e a venda ainda mais assertiva, além de reduzir a falta do produto no ponto de venda.

“Hoje entender o comportamento do consumidor é essencial e possível por meio da tecnologia. O varejo e a indústria conseguem acompanhar, por meio de softwares inteligentes, o real consumo nos pontos de venda, automatizar o envio dos pedidos a serem repostos, balancear os níveis de estoque e organizar a produção para atender a demanda”, finaliza Robson Munhoz.

A Neogrid, empresa de gestão automática da cadeia de suprimentos, monitora mais de 25 mil supermercados de mais de 130 redes de varejos em todo o país e divulga, mensalmente, dados de ruptura do varejo brasileiro.

> Fonte: Portal Newtrade.

> Texto também publicado no site da FCDL.

A importância do atendimento telefônico

O uso do telefone tem diminuído consideravelmente no segmento varejista, principalmente entre clientes e empresas. No entanto, o atendimento telefônico ainda é relevante para uma parcela dos consumidores, o que exige alguns cuidados por parte dos empresários na hora do treinamento de quem estará por trás do aparelho de telefone representando o estabelecimento comercial. Lojista associado da CDL Palhoça, confira abaixo algumas dicas para o bom relacionamento telefônico com seus clientes:

O poder do telefone no relacionamento com clientes

Apesar de as previsões apontarem para uma queda da importância do atendimento telefônico a cada dia que passa, o que se tem visto no dia a dia é um pouco diferente. Não é possível negar que o uso do telefone tem diminuído – e essa é uma tendência, afinal de contas temos diversos canais alternativos que, em muitos casos, são mais fáceis e cômodos de se usar. O que poucas pessoas têm notado, contudo, é que justamente por este novo contexto omnichannel se encorpar a cada dia, o exato oposto ocorre com o telefone: as interações por este meio ainda podem ser definitivas no objetivo de reter ou fidelizar clientes.

E por quê? Pense na rotina de diferentes perfis de consumidores. Seja pela falta de conhecimento ou acesso a outros canais; seja pelas outras possibilidades terem se esgotado; seja pela impaciência em esperar resposta por outro meio, é ao tradicional telefone a que acabamos recorrendo. Pois são nestes momentos que a importância do atendimento por telefone é elevada – o velho canal precisa ser mais eficiente do que, em geral, é.

Além do mais, é preciso ter em mente que, ainda que outros canais apresentem curva de crescimento, enquanto o telefone mostra declínio, o percentual de usuários que recorrem a este meio de contato ainda se mostra relevante. De acordo com o estudo Global Contact Center Survey 2017 da Deloitte, até 2019 cerca de 47% dos contatos ainda serão feitos por voz.

Neste cenário, fica claro que se não tivermos sucesso no atendimento por telefone, dificilmente teremos sucesso no atendimento ao cliente em geral. Recentemente ministrei um treinamento de Customer Experience (CX) e numa das dinâmicas pedi para que os alunos escutassem algumas gravações de um contact center. Pedi ainda que prestassem atenção na forma de falar do atendente da empresa e listassem 4 características daquela pessoa baseando-se na escuta dos atendimentos. Em geral, as percepções listadas foram as seguintes:

Confiante. Assertivo. Vago. Impulsivo. Tranquilo. Pensativo. Organizado. Honesto. Amigável. Sério. Inteligente. Tímido. Preciso. Cuidadoso. Decisivo. Grosso. Lento.

Todos os adjetivos citados acima foram baseados no atendimento de uma mesma empresa. Isso mostra que temos muitas variações para o mesmo atendimento e com certeza nem todas estão de acordo com a imagem que a empresa tem ou espera passar. Vale lembrar que hoje em dia o cliente não vai comparar determinada marca apenas com seu concorrente direto, mas também com toda e qualquer outra empresa que consiga gerar uma boa experiência de atendimento.

E como trabalhar isso? A solução começa na base. Antes mesmo de treinar as competências técnicas dos atendentes, é importante ter bem definidos os objetivos que a empresa espera daquelas pessoas e, portanto, a importância delas para o sucesso da marca – inclusive, já na etapa do processo seletivo. Dessa forma, as pessoas que atenderão ao telefone passarão a imagem mais aproximada daquela esperada pela empresa.

O telefone tem ainda tamanha relevância que o cargo de todas as pessoas que fazem atendimento por este canal deveria ser alterado para Diretor de Primeiras Impressões, pois se a pessoa tiver sucesso nesse quesito, mais clientes estarão satisfeitos. Às vezes cobramos muita atitude das pessoas de atendimento, mas as empresas as tratam como se se estivessem em uma posição inferior dentro da organização. Quando estes profissionais se sentem valorizados e têm sua importância reconhecida, maior a chance de a empresa ter sucesso.

> *Ricardo Pena, diretor de Pré-Vendas e Consultoria da Avaya para o Brasil.

> Fonte: Portal Consumidor Moderno.

> Texto também publicado no site da FCDL.

Câmara de Arbitragem e Mediação

CDL Palhoça implementa Câmara de Arbitragem e Mediação

Lojistas de todo o país conhecem a morosidade do sistema judiciário para questões referentes às dívidas de clientes. A Justiça Comum sempre foi demorada e cara. Assim, fez-se necessária a criação de um meio alternativo, principalmente quanto à resolução de causas que envolvam direitos disponíveis, que são aqueles que podem ser transacionados, como contratos de compra e venda; locação; prestação de serviços; cobranças; etc. Neste sentido, uma importante conquista foi a Lei Federal 9.307, que criou a Arbitragem no Brasil através de câmaras privadas.

Em 2016, a CDL Palhoça realizou convênio com o Fórum de Palhoça para a instalação de um Posto de Atendimento e Conciliação (PAC) nas dependências da entidade lojista. Desde então, este órgão já vem atuando com grande sucesso na resolução de conflitos e recuperação de dívidas praticamente perdidas para os associados lojistas.

Agora, uma nova ação auxiliará ainda mais o lojista na gestão da sua normalmente complicada e crescente inadimplência. Trata-se da implantação da Câmara de Arbitragem e Mediação (CAMCDL) pela CDL Palhoça. A CAMCDL irá proporcionar ainda mais vantagens, como: Celeridade (a maioria dos processos é solucionada em menos de 60 dias); Eficácia (mesmos resultados que a Justiça Comum, porém sem a possibilidade de recursos intermináveis); Simplicidade (comunicação direta entre as partes, sem carimbos, protocolos, datas longas para audiências, etc.); Melhor custo/benefício (solução mais rápida diminui custos de demora processual de anos); Sigilo (processo totalmente sigiloso, com publicidade apenas se ambas as partes o permitirem); Democracia (as partes escolhem os árbitros e formas de julgamento); Preservação das relações (técnicas de negociação que mantém o bom relacionamento entre o lojista e seus clientes).

O lojista associado já pode contar com estes serviços de cobranças de dívidas. E o lojista que ainda não se associou tem agora uma excelente oportunidade para se juntar à CDL Palhoça.

Entre em contato pelo telefone (48) 3242-1900 ou visite a CDL Palhoça, localizada na Rua 24 de Abril, nº 2943, 2º Andar.

Mais uma vitória para os lojistas

No dia 21/03/2018, na sessão plenária da Assembleia Legislativa, foi votada a Mensagem de Veto 1200/2018. Os 35 deputados e deputadas presentes à sessão votaram de forma unânime pela derrubada do veto do governador ao Projeto de Lei Nº 210.9/2015,  que dispõe sobre a comercialização de produtos em feiras e eventos de caráter transitório e/ou eventual no âmbito do Estado de Santa Catarina.

Esta é uma excelente notícia para os lojistas associados ou não da CDL Palhoça, bem como de todas as CDLs catarinenses, pois estas feiras trazem prejuízo ao comércio estabelecido nas regiões.

Confira abaixo o comunicado do presidente do presidente da Federação da Câmaras dos Dirigentes Lojistas (FCDL/SC), Ivan Roberto Tauffer, sobre o assunto:

Às CDLs de SC!

Com satisfação, comunicamos mais uma grande conquista da FCDL/SC e das CDLs de Santa Catarina. Hoje, 21 de março, foi votada a Mensagem de Veto 1200/2018 na sessão plenária da Assembleia Legislativa.

Com o incansável trabalho da Federação e dos presidentes de CDLs, que se mobilizaram junto aos deputados de suas regiões, conseguimos, pela unanimidade dos 35 deputados e deputadas presentes na sessão de hoje da ALESC, a derrubada do veto do governador ao PL 210.9/2015, que trata da regulamentação de Feiras Itinerantes, que tanto prejudicam o comércio formal e estabelecido. O Projeto de Lei Nº 210.9/2015, dispõe sobre a comercialização de produtos em feiras e eventos de caráter transitório e/ou eventual no âmbito do Estado de Santa Catarina.

A decisão dos parlamentares atende o pleito do movimento lojista, sendo esta uma conquista para todo o varejo catarinense, que deseja igualdade de condições para continuar auxiliando no desenvolvimento econômico e na geração de empregos.

Agradecemos a sensibilidade dos deputados, que reconheceram a pertinência de nosso pleito.

Reforço por fim, meu pessoal agradecimento a cada CDL e seu presidente e Diretoria pelo apoio e mobilização.

CDL Palhoça

Click to open a larger map